Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Campanhas

campanhas

31 de maio 2013 - Dia Mundial Sem Tabaco (2013)

VOCÊ SABE COMO A INDÚSTRIA DO TABACO ATRAI NOVOS CONSUMIDORES?

Expondo seu produto com embalagens atraentes e coloridas nos pontos de venda e adicionando sabores e aromas.

A SOLUÇÃO

A solução implementada por alguns países para banir a propaganda e a exposição dos cigarros nos pontos de venda foi a adoção de medidas como a venda debaixo do balcão ou a utilização de embalagens genéricas nos maços.

Cigarros são vendidos debaixo do balcão ou fora do raio de visão em países como Canadá, Tailândia, Irlanda, Austrália e Inglaterra.





Veja foto de embalagem genérica para os maços de cigarros, medida adotada na Austrália em 2012.

 

PORQUE PROIBIR A PROPAGANDA E A EXPOSIÇÃO DE CIGARROS NOS PONTOS DE VENDA E OS USO DE ADITIVOS NOS CIGARROS?

Baixe a arte do folheto – clique aqui

No Brasil, 130 mil pessoas morrem por ano por causa de doenças relacionadas ao cigarro. Por isso, a indústria do tabaco precisa repor seu mercado atraindo novos consumidores. Novos mesmo. Crianças e adolescentes. O tabagismo é considerado uma doença pediátrica pela Organização Mundial de Saúde, pois 90% dos fumantes iniciam a fumar antes dos 19 anos (fonte: OMS).

E como a indústria atrai novos consumidores? Espalhando seu produto de forma atraente em pontos de venda frequentados por crianças e adolescentes como padarias, lanchonetes, bancas de jornal, supermercados, lojas de conveniência. Além disso, os cigarros estão posicionados nos caixas –  local de grande visibilidade – e na maioria das vezes, junto às balas e chocolates. Não é à toa também que sabores e aromas  são adicionados aos cigarros para torná-los mais atraentes e palatáveis para este público.

Evidências mostram que a proibição da publicidade de tabaco leva a uma redução no número de pessoas que começam e/ou continuam fumando (OMS, 2013). No Brasil, estudo mostrou que houve uma redução de 46% do número de fumantes nos últimos vinte anos. Do total desta redução, estima-se que 14% devem-se às restrições à propaganda adoradas no país (INCA, 2012).

Dados de pesquisas também apontam que a população é favorável à adoção de restrições às ações de marketing da indústria:

Opinião Pública - Instituto Datafolha - São Paulo, 2013

  • 76% dos entrevistados: acreditam que a exposição de cigarros estimula o consumo e compra; são favoráveis a vender cigarros embaixo do balcão; concordam em proibir aditivos de sabores nos cigarros.

Opinião Pública - Relatório ITC - Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre, 2012*

  • Apoio que o governo continue atuando ativamente para o controle do tabagismo: 92% entre não-fumantes e 88,5% entre fumantes

  • Apoio à regulação de produtos de tabaco: 88,3% entre não-fumantes e 83% entre fumantes.

A solução implementada por alguns países para banir a propaganda e a exposição dos cigarros nos pontos de venda foi a adoção de medidas como a venda debaixo do balcão ou a utilização de embalagens genéricas nos maços.

A liberdade de criar leis é da sociedade e não da indústria do tabaco. Limite Tabaco

 * Relatório ITC (International Tobacco Control) é um levantamento que mede o impacto de políticas de controle do tabaco, realizado em 20 países. No Brasil, entrevistou 1800 pessoas, no Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre.

 

 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2