Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

Proibição do fumo em local fechado previne males em não-fumantes (27/6/2006)
ACTBR

 
Agência EFE

17:15 27/06

Apenas a proibição total do fumo em lugares fechados acabará com os efeitos nocivos sobre o fumante passivo, que são ainda maiores do que se pensava, segundo um relatório publicado hoje pelas autoridades sanitárias dos Estados Unidos.
Para a secretaria de Saúde Pública dos EUA, os fumantes passivos têm entre 25% e 30% mais possibilidade de desenvolver doenças cardíacas e de 20% a 30% mais chances de ter câncer de pulmão.

O secretário de Saúde Pública americano, Richard Carmona, revela no extenso documento que quase a metade dos americanos - mais de 126 milhões de pessoas - continuam expostos à fumaça do tabaco.

O relatório "As conseqüências sobre a saúde da exposição involuntária à fumaça do tabaco" mostra que até mesmo uma breve inalação de fumaça pode provocar um dano imediato e que a única forma de evitá-lo é proibir o fumo em lugares fechados.

"Os efeitos sobre o fumante passivo são ainda maiores do que achávamos a princípio", garante Carmona no relatório.

"A evidência científica é agora indiscutível: a exposição passiva à fumaça não é um simples mal. É um grave perigo para a saúde que pode trazer doenças e mortes prematuras a crianças e adultos", acrescenta.

O fumante passivo está exposto a mais de 50 substâncias químicas que produzem câncer e inala muitas das toxinas que contaminam o fumante ativo.

O relatório diz também que um breve contato com a fumaça pode ter efeitos imediatos sobre o sistema cardiovascular e aumenta o risco de doenças do coração.

O perigo é ainda maior entre as crianças, que são especialmente vulneráveis aos efeitos do tabaco porque seus corpos estão ainda em formação.

No entanto, as autoridades sanitárias americanas afirmam que a melhor notícia é que este problema é de simples prevenção.

O estudo descobriu que nem sequer os sistemas mais sofisticados de ventilação são capazes de eliminar as fumaças prejudiciais, e defende, portanto, que lugares fechados fiquem completamente livres de fumaça.

Carmona lembrou que os níveis de uma substância que indica a exposição ao tabaco em fumantes passivos nos Estados Unidos diminuíram 70% desde o final dos anos 80.

"Nosso progresso ao limpar o ar nos últimos 20 anos é uma grande história de êxito", diz o funcionário.

A instituição comandada por Carmona editou um guia com informação prática sobre os perigos do fumante passivo.

Por causa deste relatório, o conselho latino que busca a prevenção do álcool e do tabaco expressou sua preocupação com o "impacto desproporcional" deste problema sobre a comunidade hispânica nos EUA.

"A grande maioria de trabalhadores de restaurantes, bares, hotéis e outros serviços são latinos cujos direitos trabalhistas são menos respeitados", garantiu uma diretora de Políticas do conselho.

Além disso, Carmona anunciou o início de uma grande campanha nacional de conscientização sobre a importância de trabalhar e viver em locais livres da fumaça e do tabaco.
 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2