Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

Ambiente insalubre (19/6/2006)
ACTBR

Fonte: Folha de S. Paulo
Sábado, 17 de junho de 2006

Editorial

RELATÓRIO da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostra que 24% do fardo das doenças (anos de vida saudável perdidos) e 23% dos óbitos (mortalidade prematura) estão diretamente ligados ao meio ambiente. Isso significa que problemas ambientais matam 13 milhões de pessoas por ano no planeta. Medidas de prevenção simples poderiam salvar a vida de milhões delas. Só entre crianças, parcela da população que mais sofre com os desequilíbrios, a OMS calcula que 4 milhões de óbitos seriam evitados.
As moléstias de relevância epidemiológica mais diretamente ligadas ao ambiente são diarréias, infecções das vias respiratórias inferiores, acidentes não-automobilísticos e a malária.
De acordo com o estudo, 94% das diarréias seriam evitadas através de melhorias no tratamento de água, na coleta de esgoto e nos hábitos de higiene da população. Em relação às infecções respiratórias, 41% delas são provocadas por fatores ambientais, como a utilização de lenha dentro de casa, poluição externa e fumaça de cigarro. No caso da malária, 42% das infecções se devem a problemas como o desmatamento e o manejo inadequado dos recursos hídricos, que favorecem a proliferação do mosquito transmissor da doença.
Outras patologias com importante fator ambiental citadas pelo relatório são: acidentes automobilísticos, doenças pulmonares crônicas, moléstias perinatais, infartos, desnutrição, envenenamentos, câncer de pulmão.
Várias medidas são sugeridas para tentar reduzir a mortalidade e a morbidades de todas essas doenças. Elas incluem algumas bastante simples e relativamente baratas, como o armazenamento seguro da água de uso doméstico, a adoção de medidas de higiene mais adequadas e outras mais difíceis, embora não infactíveis, como a utilização de fontes de energia menos poluentes e a redução do desmatamento.

 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2