Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

Novo estudo comprova o aumento do risco de tumores para mulheres que começam a fumar na juventude (16/6/2006)
ACTBR

Carta Capital

21 de Junho de 2006 - Ano XII - Número 398

Por Riad Younes

Os especialistas têm recebido mensagens controversas sobre a relação entre o tabagismo e a incidência de câncer de mama. Alguns estudos têm confirmado a relação entre o número de cigarros e o risco de desenvolver câncer de mama. Outros, por outro lado, não conseguiram estabelecer uma relação causal clara entre fumo e tumores de seio.

Photos.com
Estética.
Novo tipo de prótese oferece vantagens
Um estudo recentemente realizado por pesquisadores da Faculdade de Medicina Albert Eistein, nos EUA, liderados por Y. Cui, avaliou o risco de câncer de mama em 89.835 mulheres acompanhadas desde 1980 por um programa de detecção precoce. Os cientistas conseguiram perceber várias associações. Mulheres que fumaram mais de 40 cigarros por dia, por mais de 40 anos, e que iniciaram o hábito do tabagismo antes de sua primeira gravidez apresentaram aumento de risco de câncer de mama entre 20% e 50% em relação a mulheres que nunca fumaram.

Cui concluiu que esses dados sugerem fortemente que o tabagismo pode desempenhar um papel importante no aparecimento de câncer de mama, principalmente quando iniciado na juventude e mantido por longo tempo. A recomendação, mais do que nunca, é não fumar.


PLÁSTICA DE SEIOS, UMA COMPLICAÇÃO A MENOS
Seios grandes, redondos, parecidos com os desta ou daquela pessoa famosa. Os cirurgiões plásticos, principalmente os colegas brasileiros, trabalham a todo vapor para satisfazer egos, e alter egos. Infelizmente, nem sempre os resultados a longo prazo são perfeitos. Longe disso. Complicações várias podem transformar uma cirurgia estética em tragédia.

Uma das complicações mais comuns com a utilização de implantes (silicone) nas mamas é a contratura cicatricial. Tecido inflamatório rodeia a prótese inserida, torna-se progressivamente mais endurecido. Distorce o formato da mama e, pior ainda, produz desconforto local e até dores intensas crônicas. Muitas pacientes precisam ser reoperadas para resolver esse problema.

Recentemente, a bioengenharia construiu uma prótese nova de superfície especial, chamada “texturizada”, que poderia reduzir nitidamente a incidência da contratura e do endurecimento. Um estudo realizado por G.P. Barnsley e colegas, do departamento de cirurgia plástica da Universidade de Dalhousie, no Canadá, avaliou a capacidade dessa nova prótese em realmente reduzir as chances de complicações graves como a contratura.

Após vários estudos, os pesquisadores confirmaram que o emprego das novas próteses, texturizadas, protege efetivamente contra a ocorrência de cápsulas duras, reduzindo em mais de 80% as chances dessa complicação. Sugerem que esse tipo de prótese deve ser preferido sobre as próteses lisas. Boas notícias para quem quer seios como os de alguma atriz (que, provavelmente, também tem seios modificados), e por muito tempo.



CÁLCIO EMAGRECE?
Se acreditarmos em propaganda de televisão, em alguns programas vespertinos e alguns nutricionistas entusiastas, bastaria tomar comprimidos de cálcio para perder peso. Até estudos experimentais têm sugerido que o cálcio poderia ajudar na perda de peso de animais e pessoas obesas.

Para esclarecer essa confusão, R. Trowman, da Universidade de York, na Inglaterra, avaliou os resultados disponíveis sobre a relação entre ingestão de cálcio e perda ou ganho de peso. Em estudo recentemente publicado na revista British Journal of Nutrition, os cientistas não encontraram nenhuma relação entre a quantidade de cálcio ingerida, tanto em forma de comprimidos quanto nos produtos derivados de leite, sobre a perda de peso.

Trowman alerta contra o uso exagerado de cálcio com o objetivo de emagrecer. Mais ainda, chama a atenção que o cálcio, quando bem indicado, pode proteger contra doenças graves, como osteoporose, mas quando ingerido em excesso, pode causar complicações graves, entre elas as pedras (cálculos) nos rins.

Para emagrecer, parece que comer menos é ainda o melhor caminho.

 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2