Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

Cigarro pode afetar a fertilidade conjugal (30/5/2007)
Paula Johns

Fonte: www.jornaldoestado.com.br
Paraná
29/05/2007

Um terço das grávidas fumam  

O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a principal causa de morte evitável em todo o mundo. A OMS estima que um terço da população mundial adulta, isto é, 1 bilhão e 200 milhões de pessoas (entre as quais 200 milhões de mulheres), sejam fumantes. No Brasil, onde estima-se um número aproximado de 30 milhões de fumantes,  um terço das grávidas fumam, apesar de todas as campanhas de conscientização sobre os danos causados pelo cigarro.


Até algumas décadas atrás, acreditava-se que os efeitos da dependência do tabaco eram mais fortes nos homens, mas com as novas gerações de fumantes verificou-se que as mulheres são igualmente ou mais suscetíveis aos seus malefícios. Além de ampliar a ocorrência de doenças como o câncer, problemas pulmonares e cardíacos, a mulher fumante corre maior risco de infertilidade, câncer de colo de útero, menopausa precoce (em média 2 anos antes) e sangramento irregular.


“Cada tragada pode afetar seriamente a capacidade de ter filhos”, afirma Dr. Roger Abdelmassih. Pesquisadores da Espanha e de Portugal analisaram os índices de gravidez em mulheres que fizeram tratamento para engravidar usando óvulos doados. Eles descobriram que 52,2% das mulheres que fumavam pouco ficaram grávidas na primeira tentativa, comparado com 34,1% das mulheres que fumavam muito.


Outro estudo, no Reino Unido, revelou que até 13% da infertilidade feminina é causada pelo tabagismo. Pesquisas mostram que fumar é prejudicial para os ovários da mulher, para o transporte dos embriões e para a implantação do embrião no útero, o grau de dano depende da quantidade de cigarros e do tempo do vício. A nicotina e outros elementos químicos do cigarro interferem na capacidade do corpo de produzir estrógeno, um hormônio que regula a ovulação, e pode fazer com que os óvulos da mulher estejam mais sujeitos às anormalidades genéticas.


“Estudos recentes mostram que uma mulher fumante responde à estimulação da ovulação como uma mulher dez anos mais velha. Além disso, o número médio de tentativas de tratamento para se obter a gravidez é duas vezes maior no grupo de fumantes”, completa Dr. Roger.


Nos homens, a nicotina também atinge as células que produzem os espermatozóides nos testículos. Estudos demonstram que o fumo pode provocar lesões cromossômicas detectadas através do teste de Fragmentação do DNA espermático, sem falar nos danos causados ao desempenho sexual.


Números alarmantes do tabagismo


O Tabagismo é a intoxicação provocada por abuso do tabaco (Nicotina tabacum, planta da família das Solanáceas), pelo hábito de fumar e da conseqüente dependência da droga nicotina. O fumante inala 4.720 substâncias tóxicas numa só tragada e dessas, 80 são cancerígenas. O vício mata 3,5 milhões de pessoas por ano no mundo.


Só no Brasil o cigarro faz anualmente 200 mil vítimas. O custo social do tabagismo é imenso. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o fumo é causador de 50 doenças diferentes, destacando-se as cardiovasculares, o câncer e as doenças respiratórias obstrutivas crônicas. As estatísticas demonstram ainda que 45% das mortes por doença coronariana (infarto do miocárdio), 85% das mortes por doença pulmonar obstrutiva crônica (enfisema), 25% das mortes por doença cérebro-vascular (derrames) e 30% das mortes por câncer podem ser atribuídas ao cigarro. Outro dado alarmante: 90% dos casos de câncer do pulmão têm correlação com o tabagismo.

 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2