Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

Tabaco causa prejuízos de US$ 32 bilhões à China (21/11/2006)
Paula Johns

 
Agência EFE
13:55 20/11
As despesas com saúde e em outras áreas como conseqüência do consumo de tabaco na China, país onde se fuma um terço dos cigarros produzidos no mundo, superaram os US$ 32 bilhões em 2005, informou hoje o jornal governista "China Daily".

A maior parte das despesas (US$ 21 bilhões) foi com tratamentos médicos por doenças provocadas pelo consumo de tabaco. Nos outros custos, são incluídos desde incêndios gerados por pontas de cigarros acesas até atrasos no trabalho por causa das pausas dos funcionários para fumar, segundo um estudo econômico da Universidade de Pequim.

Os pesquisadores chegaram à conclusão de que a poderosa indústria do tabaco chinesa não é rentável ao país, já que a receita com os impostos do produto (cerca de US$ 30 bilhões) são menores que as despesas que produz.

A poluição ambiental e a redução da expectativa de vida também são consideradas "despesas" pelos autores do estudo.

Há 350 milhões de fumantes ativos na China e calcula-se que existam outros tantos passivos. São 700 mil mortes ao ano por problemas respiratórios devido ao consumo de tabaco.

Para enfrentar os custos, os especialistas ainda não consideram aprovar "leis antitabaco", como as apresentadas em alguns países europeus e no território especial chinês de Hong Kong, mas se estuda aumentar os impostos e o preço dos cigarros, em um país onde um maço do produto pode custar menos de US$ 1.

Uma alta de apenas US$ 0,05 no tabaco, segundo o especialista Lin Daqing (Universidade de Hong Kong), bastaria para conseguir uma queda nas vendas anuais de 90,5 bilhões de cigarros - na China, são vendidos 1,8 trilhão de unidades por ano.

Os impostos sobre o tabaco na China são de 55% sobre o preço dos pacotes de cigarros, enquanto em países ocidentais chega a 60% ou 80%.

O estudo não inclui as perdas derivadas do contrabando de tabaco na China, prática muito comum que, segundo Pequim, causa evasões de impostos de até US$ 2 bilhões.

Teoricamente, a China limita a publicidade sobre tabaco e proíbe o fumo em alguns lugares públicos, mas há certo relaxamento na aplicação das leis e não é raro ver fumantes em restaurantes, hospitais, trens e táxis, entre outros lugares.

 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2