Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

O cigarro e as opiniões (23/11/2006)
Paula Johns

Fonte: http://www.parana-online.com.br/noticias/colunista.php?op=ver&id=244879&caderno=3&colunista=101

João Feder [22/11/2006]


Já falamos, ao comentar a decisão da França em restringir os locais para fumantes, que se trataria de uma briga para sair fumaça. Vejamos, a propósito, as opiniões colhidas sobre a controvertida questão.

1. Para proibir o fumo deve-se primeiro acabar com as fábricas de cigarro. E o governo está de acordo em perder muitos milhões em impostos. Com efeito, consta que paga-se mais de imposto do que pelo valor do cigarro. (Robson Carvalho Costa - Colombo-PR)

2. Embora a prática do fumo não seja recomendável, há de se respeitar os fumantes criando espaço adequado para eles. Medidas radicais e discriminatórias só incitam ânimos e não ajudam na solução do problema. (Célia Morau - São Paulo-SP)

3. Só teríamos a ganhar em qualidade do ar e em desenvolvimento humano. Aliás, o fumo deveria ser banido em qualquer lugar e os impostos aumentando em função das despesas do estado com os doentes e mortos ex-fumantes. (Jorge do Carmo - Rio de Janeiro)

4. Certas coisas são mais difíceis de admitir para aqueles que, como eu, nasceram nas décadas de 50, 60 e 70 (“É proibido proibir”). Mas a realidade em nosso hospitais é triste e reveladora. Grande parte das doenças que nos causam prejuízo estão ligadas ao fumo. Proibi-lo em locais públicos fará do fumo um vício mais particular, menos glamuroso, um convite, ainda que forçado, à reflexão. (J.C. Carnevale - SP)

5. A medida é contrária ao livre-arbítrio das pessoas. A indústria tabagista teve forte apoio do governo até os anos 80s. Por isso é importante mostrar os ma lefícios trazidos por esse vício. Mas discriminar ou excluir os fumantes passa a ser um desrespeito. (Pedro Jorge Ciufatelli - Fortaleza)

6. A França só toma essas medidas mediante negociação com o governo e os setores envolvidos. Com certeza não teremos esse procedimento. (José Cassio - São Paulo)

7. As pessoas que fumam devem respeitar quem não quer antecipar a morte. A questão passa também pela educação, mas como poucos se importam com quem está ao seu lado, faz-se necessária uma atitude como a adotada pela França. (Anônimo)

8. Sou fumante e concordo que seja proibido fumar em lugares públicos. Tem que afunilar, diminuir os espaços, para que nós fumantes tenhamos consciência de que o cigarro é um péssimo aliado da humanidade. (Julimar Monteiro da Silva - Natal)

9. Diferentemente de algumas bebidas, como o vinho, o fumo em nenhuma circunstância traz benefício aos usuários. Portanto, mais do que a proibição em locais públicos, deveria ser totalmente proibido. (Daniel Morais -Boston-EUA)

10. Aqui perto, no Chuí uruguaio, já se percebe a proibição nos restaurantes e nas lojas. O presidente Tabaré Vasquez é médico oncologista e como tal, vem demonstrando coerência na saúde pública e assim agiu. E fez muito bem. (Cláudio Engelke - Rio Grande - RS)

P.S. - Reservei para o final uma opinião curitibana, de Jéthero Cardoso: “A odiosa onda do politicamente correto não pára. Fumar em lugar público, a céu aberto, não afeta os não-fumantes. Se essa turma das grandes cidades está preocupada com a qualidade do ar, deveria mudar-se para o campo e viver de artesanato. Só em São Paulo há mais de 300 partículas químicas em suspensão no ar, 60 das quais cancerígenas. Por que esse pessoal não faz um movimento contra a atividade industrial?

 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2