Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

Discussão - É proibido fumar? (10/12/2006)
Paula Johns

Fonte: http://www.dm.com.br/impresso.php?id=165353&edicao=6974&cck=4

10/12/2006

Carlos Brandão
Da editoria do DMRevista


Os espaços para fumantes, antes generosos, estão diminuindo em ritmo acelerado. Cada vez mais as autoridades e os fumantes passivos passam a exigir que se restrinja os fumantes a locais definidos. Países europeus como França, Irlanda, Noruega, Espanha, Itália, Malta, Suécia e Escócia proibem totalmente o tabaco em locais públicos, principalmente em escolas. A discussão chegou ao Brasil. Na cidade paulista de Taboão da Serra um vereador apresentou projeto que prevê a proibição de se fumar em bares, restaurantes e boates da cidade. Multa para quem não respeitar: 20 salários mínimos.

E se a proibição chegar a Goiânia, de que lado você fica? Não é um tema fácil e os dois lados acabam sempre achando que têm razão. Fumantes ativos e passivos defendem os direitos que julgam ter. Os bares e restaurantes da cidade não conseguem cumprir de maneira adequada a obrigação de se fumar em áreas restritas. Donos de casas dizem que os fumantes são um problema.

Newtom Emerson Pereira, presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes e proprietário do restaurante Cateretê, entende que precisa existir respeito mútuo. E defende a liberdade das casas de definir as soluções. “Existe muita interferência do poder público nesse assunto, talvez pela popularidade que ele dá.”

O presidente da Abrasel acredita que não são necessárias mais leis para regulamentar o tema. “Basta consciência por parte dos fumantes e dos donos de bares e restaurantes.” Newton afirma que grandes companhias de tabaco estão preocupadas. “A Souza Cruz tem um projeto de convivência harmônica entre fumantes e não-fumantes.”

Em Portugal foi criado o Dia Nacional do Não Fumador, que cai em 17 de novembro, para chamar a atenção para um hábito que mata anualmente cerca de cinco milhões de pessoas no mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). Estima-se que três milhões de portugueses fumam. Apesar dos danos conhecidos provocados pelo uso do tabaco, o consumo continua aumentando mundialmente, especialmente nos países em desenvolvimento.

A OMS tem pedido aos países membros que lutem contra o que chama de “epidemia do tabaco”, no sentido de “proteger as gerações atuais e futuras deste grave problema de saúde pública”. Como se vê, a situação dos fumantes e os espaços destinados a eles devem ser questionados com mais e mais veemência.

Aminezio Maximino Leles, proprietário do Bar do Preto, diz que se a proibição total aos fumantes acontecer, será uma vitória para ele. “Sou o maior vendedor de cigarros do Setor Bueno e mesmo assim torço pela proibição.” E diz que não acredita que uma lei vá vingar. “Isso não acaba nessa geração.”

Márcio de Abreu, do Chopp 10, é taxativo: “Não fumo e não sou a favor de mais proibições.” Apelando para o equilíbrio, dá a Europa como exemplo de boa condução do problema. “Na Europa, quando você reserva uma mesa, já te perguntam se você é ou não fumante. A partir da resposta, o garçom sabe como te tratar e onde o encaminhar quando chegar no restaurante.” Não precisa ir muito longe, em Brasília, a área de fumante é respeitada.

O fumo, no Brasil, faz mais de 200 mil vítimas por ano. O fumante tem à sua disposição um cardápio de mais de 50 tipos de doenças, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer. Entre os males, problemas cardiovasculares, respiratórios e câncer. A OMS informa que a fumaça do cigarro contém 4 mil substâncias, das quais 40 são consideradas cancerígenas.

Eli José, do Bar da Mangueira, é contra a idéia de proibição total. “Tem de ser dividido e cada um respeitar o outro.” O comerciante diz que no seu bar, os fumantes respeitam. Fernando Machado e seu pai, Celson Batista, do Celson e Cia, acham que a área de fumantes, se bem administrada pelos donos de bares e restaurantes, resolve o problema. “Se alguém acender o cigarro fora da sua área, o garçom deve intervir na hora.” Pai e filho concordam num ponto: “Os fumantes dão muito trabalho.”

Dados da OMS dizem que 45% das pessoas que tentam parar de fumar conseguem seu objetivo. O índice cai para 25% quando o tratamento para combater o vício é exclusivamente por meio de medicamentos. Mais de 9% dos usuários de nicotina começam a fumar antes dos 19 anos, faixa etária mais vulnerável aos vícios.


Matérias Relacionadas
editoria: DMRevista
editor: Cristina Xavier de Almeida
editor(a) assistente: Mariana Tramontina
telefone: 3267-1048
e-mail: dmrevista@dm.com.br

(15) Anivaldo Miranda dos Santos (anivaldomiranda@hotmail.com | 10/12/2006 às 19h24) Proibição? Leis? Pouco funcionam. Basta que se tenha consciência dos limites. Digo por mim. Eu fumo. Mas não fumo dentro da minha casa. O maço fica na área livre, no quintal. Quando vamos fumar, eu e minha esposa, vamo lá e pronto. Tampouco acendemos cigarro em qualquer ambiente fechado. Quando vamos a uma pizzaria ou restaurante, procuramos ficar numa área externa, preferencialmente onte tenha menos pessoas por perto. Só que acontece de ter gente encrenqueira, que podia evitar e sentar-se na área reservada a não fumantes. Comigo aconteceu de um mau-educado querer aparecer e jogou fora o cinzeiro que estava na minha mesa. Perdi a paciência e apaguei o cigarro no uísque dele. Não teve maiores problemas, mas poderia ocorrer uma situação pior. Não me vanglorio pelo que fiz. Normalmente sou compreensivo e educado. Mas um mau-educado só entende se agirmos no mesmo nível.

código: 55573

(14) Ana Flávia de Souza (anaflavia.sbo@bol.com.br | 10/12/2006 às 18h48) Tem q proibir sim! Ninguém é obrigado a fumar passivamente. Fumantes (suicídadas) na maioria são mal educados e não respeitam... tem lugares q é complicado sair de perto do fumante... Tem coisa pior do q vc estar comendo respirando fumaça de cigarro???? acho q quem quer fumar deveria ir para algum lugar ao ar livre ou lugar TOTALMENTE isolado!

código: 55572

(13) cleice (cleice.m@bol.com.br | 10/12/2006 às 18h22) Ser radical em nada ajudar. Quando o assunto é a liberdade de fazer o que se endende com a vida ou melhor com a saúde, que cada um faça o que bem endende. Basta separar o local dos fumante, porque complicar o que é fácil? Coloquem um depurador de ár no local dos fumantes e pronto a polêmica se foi.

código: 55571

(12) Marcus (m123@hotmail.com | 10/12/2006 às 17h23) A verdade é que , mesmo que eu fumante não queira prejudicar aquele que não fuma e está sentado ao seu lado, ele não consegue controlar aquela MALDITA FUMAÇA QUE SAI DO SEU CIGARRO!!! Minha opinião é que haja, em todos os lugares, um ambiente para fumantes e não fumantes, DE PREFERÊNCIA COLOCANDO OS FUMANTES EM UM ABIENTE FECHADO E OS NÃO FUMANTES NUM AMBIENTE ABERTO!! DEIXEM QUE OS FUMANTES APROVEITEM AO MÁXIMO ESSA PORCARIA DE FUMAÇA QUE ELES TRAGAM, FECHANDO UM AMBIENTE PARA ELES!!! SOLUÇÃO SIMPLES E BARATA, E TAMBÉM SAUDÁVEL PARA OS QUE NÃO FUMAM!!!

código: 55569

(11) VALDIR MALAGUETA (malaguetavs@gmail.com | 10/12/2006 às 15h09) Para não tem nada de polêmica a lei de proibir os fumantes de fumar em locais fechados. Os fumantes em sua grande maioria são pessoas que não respeito o direito do não fumante. são sem educação mesmo. Quer ter o vício então fume sozinho.

código: 55562

(10) helio sperandio (helio23@terra.com.br | 10/12/2006 às 13h11) Tem que fazer essa lei sim. Fumantes não respeitam a si próprio, que dirá às demais pessoas. Se querem fumar, que saiam dos estabelecimentos e fumem na rua. Ninguem é obrigado a fumar junto de indivíduos que só pensam em sí próprio. Tenho dito! heheheheheheh!

código: 55556

(9) Lauro (nao tenho | 10/12/2006 às 10h55) Pessoal vamos deixar um pouco Europa,USA de lado e vamos fazer tambem aqui nossas leis poxa tudo,tudo sera que tem que copiar de la o loco.Mais uma vez esta em pauta que a Lei no brasil nao funciona,mais uma vez, pois ja existe este projeto de lei mas ninguem cumpre esses fumante sem educacao, que tem coragem de fazer ate mesmo o proprio prato que come e copo que bebe agua de cinzeiro nao respeita ninguem eles sao muitos cara de pau isso e uma coisa que infelizmente nao vai funcionar num pais como Brasil,Chile,Colombia,Argentina etc...ou seja os paises sub-desemvolvidos.Vai ser igual essas leis de transito ai os peixinhos de aquarios nao pagao mas os demais sim pagao.

código: 55540

(8) Marcos Valerio (marcossousa_@hotmail.com | 10/12/2006 às 10h43) Esse é outro tema polêmico e que merece atenção, pois devemos observar o fato de que fumar em locais destinados a refeição realmente é uma coisa que incomoda as pessoas. Porém, em ambientes como bares e boates a coisa pode ser observada de outra maneira. Vejamos, o cigarro prejudica a saúde, isso é fato real. Por acaso alguém já levantou a lebre sobre os males da bebida ? O álcool e as drogas são os principais fatores que vem matando a população, não só pelo fato de fazer mal ao indivíduo, mas também por destruir familias, ser usado como estimulante para as pessoas cometerem crimes, brigas, etc. Alguém já viu juiz ou vereador criando projeto de lei pra proibir bebidas alcóolicas em bares e restaurantes ????. Outra coisa que incomoda bastante e que ninguem faz nada à respeito é o infortúnio de se adentrar em um coletivo e ter o desprazer de ficar o trajeto inteiro ouvindo pregação de evangélicos malucos, creio que 90% dos passageiros dos transportes coletivos já tenha passado por isso, já viram algo mais incômodo? Aquele calorzão brabo e de repente surge uma alucinado gritando e jogando o evangélio na nossa cabeça. Ora, tenham paciência e olhe isso também senhores vereadores e juízes. Finalmente... espero que para o próximo ano nossas "autoridades" tenham a gentileza de se ocuparem com assuntos de maior relevância e trabalhem realmente em prol da sociedade. Outro

código: 55538

(7) Igor Arantes (igor@webdobrasil.com.br | 10/12/2006 às 10h09) Sou fumante e não concordo com a proibição. Não acho necessário existir leis para segmentar os clientes. Essa decisão poderia ficar a cargo dos donos de estabelecimentos. Estes decidiriam se em seus bares e casas noturnas se permite ou não fumar. Em caso de bancos e shoppings centers já não se permite fumar, nao muda nada. Gostaria de ressaltar também que não concordo com a falta de tolerância das pessoas. Se não quer cheiro de cigarro, saia de perto, ninguém é obrigado a beijar uma pessoa que fuma e nem conviver com ela.

código: 55536

(6) cleide barbosa de sousa (cleidebsousa@ibest.com.br | 10/12/2006 às 09h24) O assunto tem que ser debatido mesmo, as autoridades tem que impor leis mesmo, quem sabe assim algumas pessoas que estao se matando aos poucos e matando quem esta ao seu lado, possam perceber o absurdo que e fumar.

código: 55531

(5) Ademir Batista (ademirbrindes@hotmail.com | 10/12/2006 às 09h18) Parabéns ao autor da Lei. Tem que restringir mesmo o espaço para fumantes em locais fechados. É horrível, você está almoçando ou jantando em restaurante e compartilhando da fumaça indesejada de um cigarro. Aliás proponho a quem não fuma o seguinte: NÃO ENTRE EM CHOPERIA E PRINCIPALMENTE RESTAURANTES QUE AINDA RECEBAM FUMANTES. Não quero e não serei fumante passivo. Quem quiser morrer lentamente com o cigarro, que o faço, mas bem longe de mim. Um outro detalhe, é que o fumante não tem escrupulo, fuma em qualquer lugar, perto de qualquer um. Falta de vergonha, só isso.

código: 55529

(4) Celismar Silva (silvacpocket@hotmail.com | 10/12/2006 às 08h56) Sou fumante e sinceramente ha toda razao de os nao fumantes nao gostaren de fumaca acho que respeitaria a opniao deles se nos fumantes estamos encaminhando parra o burraco no e o nosso direito os levaren tamben, Acho que deveria haver uma lei para banir o cigaro do Brasil isto sin, pelo menos Eu teria uma change de largar esta m???a.

código: 55526

(3) CAJORGE (cajorge@terra.com.br | 10/12/2006 às 08h29) A lei é clara: em lugares fechado, com ar condicionado ou locais de refeirção é probido fumar. Shoping, Supermercados, restaurantes, etc... Só que a lei não prevê punições pecuniárias para os donos de estabelecimentos e nem para os fumantes, pois depende de regulamentação de cada prefeitura. Assim é como se não existisse. Fumar é como queimar dinheiro a curto e longo prazo. A curto quando se fuma e a longo prazo, quando se tem que fazer tratamento médico por causa do fumo. Fumar é morrer aos poucos. Que morram, mas longe de mim, que não sou fumante. (Já fui e vi o quanto é ruim)

código: 55523

(2) Oséias Pereira da Silva (oseiassilva@uol.com.br | 10/12/2006 às 08h13) Deve se tomar, a decisão que já existe em alguns países da Europa, a proibição total em locais públicos, pois trata-se de uma prática que destrói o organismo da pessoa, e assim quem quizer que destrua somente a si mesmo (em sua residência), não causando malefícios a outras pessoas que não tem esse vício.

código: 55522

(1) Léo Mendes (liorcino@yahoo.com.br | 10/12/2006 às 06h53) É preciso que algum/a vereador/a de Goiania tenha coragem e proiba fumar em locais fechados. Boates, cinemas, shoppings, escolas, hospitais, predios públicos, bares, igrejas, todos estes lugares deveriam ser preservados do fumante. Se querem fumar procurem um lugar aberto, ao ar livre, onde a fumaça pode ir embora, não na frente dos nossos narizes. Não existe nada mais desagradavel e nojento , que ir em um bar e restarante e sentir a catinga de cigarro por perto, pior que isto é beijar a boca de quem fuma, parece que estamos beijando um cinzeiro. No Inicio do seculo passado era permitido escarrar em casa, na rua. Era comum ter escarradeiras em casas. O Sinal de charme era cheirar um fumo e depois escarrar preto. Foi preciso uma lei federal proibindo se escarrar em publico para as pessoas tomarem vergonha na cara e mudarem seus costumes nojentos e insalubres. Léo Mendes

código: 55519

 
 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2