Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

Fumo causa de 80% dos casos de câncer de pulmão (26/11/2008)
JB On Line

Cecilia Minner , Jornal do Brasil

RIO - Fato é que os tratamentos contra o câncer de pulmão foram revolucionados, e, hoje, as chances de cura da doença em estágio inicial chegam a 90%. Estima-se até que, em breve, possa ser encarado como uma doença crônica. Mas um estudo realizado pelo Instituto Karolinska, na Suécia, mostrou que no Brasil 91% dos casos são diagnosticados nas fases mais avançadas (estágios 3 e 4) da doença, o que reduz o sucesso do tratamento para menos de 40%. Atualmente, o câncer de pulmão é tipo que mais acomete pessoas no mundo – a cada ano, 1,3 milhão de novos casos são diagnosticado, sendo mais 80% causados pelo tabagismo.

Diante desse cenário, a Associação Brasileira do Câncer (ABCâncer) aproveitou o mês mundial de combate ao câncer de pulmão para informar a população sobre o mal por meio de atividades nas ruas das cidades. Nesta terça, a campanha Consciência Viva - Vivo e Conto chega a Central do Brasil, no Rio de janeiro. Das 6h30 às 15h, um espaço diferenciado contará com médicos residentes e voluntários da ABCâncer que estarão à disposição da população. Quem passar por lá

poderá tirar dúvidas e ser orientado sobre o câncer que mata 3 mil pessoas por dia no mundo, o que significa que a cada 30 segundos uma pessoa morre em virtude da doença.

– Via no cigarro um certo glamour por isso comecei a fumar. Cheguei a consumir três maços por dia. Há 10 anos, com uma simples chapa de pulmão descobri que estava com câncer, mas consegui me curar – relembra o ator Herson Capri, de 57 anos, que é o padrinho da iniciativa. – Sou uma prova viva de que é possível combater o câncer de pulmão, mas é preciso fazer os exames de rotina para conseguir diagnosticá-lo com antecedência. É a melhor forma de se combater esse câncer.

Terapias

Ainda no local da campanha, os participantes receberão uma revista de palavras cruzadas informativa, e também poderão interagir com a iniciativa registrando suas histórias que posteriormente serão postadas no site da campanha (www.vivoeconto.com.br).

– Nosso intuito é humanizar o câncer de pulmão e mudar a visão da doença no país. Até alguns anos esse tipo de câncer era visto como uma sentença de morte. Hoje em dia o diagnóstico precoce proporciona a cura e nos casos avançados os pacientes podem ter maior sobrevida se comparado ao cenário de cinco ou 10 anos atrás – explica a superintendente executiva da ABCâncer, Marília Casseb – A tendência a longo prazo é que o câncer se torne uma doença crônica, e que o paciente viva com ela, sob controle.

Atualmente existem tratamentos inovadores para o câncer de pulmão que aumentam a sobrevida do paciente. Com mecanismo de ação diferente da quimioterapia, agem especificamente bloqueando uma enzima dentro da célula do câncer, responsável pela proliferação da doença no organismo.

– Existem medicamentos que acarretam poucos efeitos colaterais, como apenas vermelhidão na pele e diarréia. Isso proporciona uma qualidade de vida melhor aos pacientes – afirma o oncologista, do Instituto Nacional do Câncer (Inca), Mauro Zukin.

No Brasil, segundo dados do Inca, mais de 27 mil novos casos serão diagnosticados em 2008, sendo mais de 3 mil somente no Rio de Janeiro.

Cerca de 80% dos casos de câncer de pulmão são causados pelo tabagismo – os outros 20% por fatores ambientais, como poluição. O tabagismo passivo também é considerado uma causa.

Pesquisa feita pelo Inca e pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) revelou que, a cada dia, ao menos sete brasileiros morrem em decorrência de doenças causadas pela exposição à fumaça do cigarro, como câncer de pulmão, doenças isquêmicas do coração (como enfarte) e acidentes vasculares cerebrais.

 

 

 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2