Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

Fumantes: 91% preferiam não ter começado a fumar (10/3/2010)
O Globo

Pesquisa mostra que 51% pretendem parar
 
Carolina Benevides
 

Mais de 91% dos fumantes brasileiros gostariam de não ter começado a fumar, e 51% planejam largar o cigarro em até seis meses.

Os dados são da pesquisa ITC Brasil (International Tobacco Control), que foi realizada em 20 países. No Brasil, foram ouvidos 1.826 pessoas no Rio, em São Paulo e em Porto Alegre.

— As pessoas começam a fumar porque a indústria consegue vincular o cigarro a ideia de sucesso, prazer e realização. Só depois, elas descobrem que o fumo está ligado ao sofrimento e à morte — diz Luiz Antônio Santini, diretor-geral do Instituto Nacional do Câncer (Inca), lembrando que muitos planejam parar de fumar em até seis meses porque sabem que são dependentes.

— Está claro para elas que não basta desejar parar. Fica claro que é preciso ampliar o tratamento para dependentes.

A pesquisa mostrou ainda que 91% dos fumantes estão preocupados com a saúde e que 47% dizem que as advertências nos maços os fazem pensar “muito” sobre os riscos que correm.

— Muitos querem parar porque não se sentem bem fumando.

As advertências servem para desestimular e tem dado resultado.
Por isso, o Ministério da Saúde faz um estudo para colocar as imagens nas duas faces do maço — disse Santini.

Segundo ele, os dados que mostram que os fumantes continuam acendendo seus cigarros em lugares fechados (76%, 83% e 79%, respectivamente no Rio, em São Paulo e em Porto Alegre) provam que é necessário uma lei federal que proíba o fumo nesses ambientes.

— Isso vai acabar com as controvérsias e com as brechas que elas abrem. As pessoas vão respeitar mais a lei.

 

 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2