Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

Eles querem você - ARMAS PARA ATRAIR JOVENS, ADITIVOS DE CIGARROS TERÃO USO RESTRITO NO BRASIL (29/11/2010)
Folha de S. Paulo

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/folhatee/fm2911201010.htm

Eles querem você
ARMAS PARA ATRAIR JOVENS, ADITIVOS DE CIGARROS TERÃO USO RESTRITO NO BRASIL

TARSO ARAUJO
DE SÃO PAULO

Jeferson Balbino, 20, colocou um cigarro na boca pela primeira vez aos 17 anos. "Achei o gosto horrível, amargo, forte". Foi seu primeiro e último cigarro.

A primeira experiência de Júlia*, 16, foi aos 15, com um cigarro diferente, de cravo e canela, adocicado. Ela continua fumando até hoje, e prefere cigarros com sabor. "É mais gostoso. E o gosto forte de fumaça fica mais suave."

Para os especialistas, o tal gostinho é uma arma importante para atrair novos fumantes. Cigarros assim, com aditivos que diminuem a sensação ruim de uma tragada, são os preferidos de 44% dos jovens de 13 a 15 anos que fumam regularmente, diz uma pesquisa do Inca (Instituto Nacional do Câncer).

"O adolescente tem que vencer a barreira do gosto ruim para se tornar fumante. Estudos da própria indústria mostram como os aditivos tornam a primeira experiência menos traumática", diz Tânia Cavalcante, especialista em tabagismo do Inca.

DIAS CONTADOS
Mas os cigarros com aditivos estão com os dias contados. No dia 20, a OMS (Organização Mundial da Saúde) aprovou uma recomendação para restringir o uso dessas substâncias nos cigarros.

No Canadá e nos Estados Unidos, elas já foram total ou parcialmente banidas. No Brasil, deve rolar o mesmo.

Nesta semana, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária deve abrir em seu site (anvisa.gov.br) consulta pública para formular a lei que vai restringir o uso de aditivos. Qualquer cidadão pode ajudar. Opiniões serão usadas na elaboração da lei.

"O cigarro vai ser menos atraente para o jovem. Certamente vamos reduzir a iniciação", avalia Tânia.

OUTRO LADO
Questionado sobre o assunto, Humberto Conti, gerente de ciência da Souza Cruz, diz que "nossos cigarros têm gosto de cigarro, não de chiclete, bala ou bombom. E nossa comunicação é direcionada para adultos fumantes." Os adolescentes, diz, "não representam nada para nós, nossos produtos não são para eles".

ARTIMANHAS DA INDÚSTRIA

Após processos nos anos 80 e 90, empresas de tabaco foram obrigadas a tornar públicos documentos sigilosos. Veja o que diziam sobre aditivos e adolescência:

"Várias crianças, quando começam [a fumar], não gostam do sabor do cigarro e começam a tossir. Mas um cigarro com sabor, digamos cereja, pode parecer melhor"
Brown & Williamson, 1984

"Os realçadores do tabaco de chocolate, baunilha e licor são alguns dos mais excitantes e promissores desenvolvidos nos últimos anos. (...) Parecem ter apelo significativo entre fumantes de 18 a 24 anos e esse é obviamente o grupo que nós queremos desesperadamente"
RJR Tobacco Company, 1985

"É bem sabido que adolescentes gostam de coisas doces. Mel deve ser considerado"
Brown & Williamson, 1984
 

 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2