Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

Governo relata surto de moléstia ligada às lavouras de fumo (15/11/2011)
Folha de S. Paulo

http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/1006988-governo-relata-surto-de-molestia-ligada-as-lavouras-de-fumo.shtml

Um mal ligado à nicotina, conhecido e catalogado em outras partes do mundo, começa a ser detectado também no Brasil e preocupa autoridades de saúde.

A "doença da folha verde do tabaco" é uma espécie de overdose de nicotina absorvida pela pele. Ela costuma atingir trabalhadores do setor do fumo.

Mesmo não sendo fumantes, os afetados chegam a ter uma quantidade da substância cotinina -medida por exames de urina- maior do que a dos adeptos do cigarro.

O mal causa dores de cabeça, tontura, náuseas e cólica. Dura alguns dias e pode afetar a mesma pessoa repetidas vezes. Pesquisadores ainda avaliam a possibilidade de o problema provocar, a longo prazo, câncer e doenças cardiovasculares, assim como faz o cigarro.

A nicotina é absorvida pelo trabalhador na colheita das folhas. O suor, o orvalho e a chuva facilitam o contato da substância com a pele.

Uma pesquisa coordenada pelo Ministério da Saúde já reportou o que chamou de primeiro relato de surto do mal no Brasil. Em países como Estados Unidos e Índia, já havia situações do tipo.

O estudo do ministério detectou 107 casos no interior de Alagoas. Uma nova fase da pesquisa vai focar também plantações gaúchas -o Rio Grande do Sul concentra a produção de fumo no país.

Ao todo, 186 mil famílias vivem da cultura no Brasil.

A Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar do Sul reclama que o mal da folha do tabaco ainda é pouco conhecido e que os médicos costumam confundi-lo com outras doenças.
"As pessoas chegavam com essa síndrome e achavam que tinha algo a ver com agrotóxico", diz a epidemiologista da Secretaria da Saúde gaúcha Tânia Santos.

A Afubra (Associação dos Fumicultores do Brasil) diz que já orienta há anos seus associados a prevenir a doença com o uso de equipamentos de proteção. Existe resistência, porém, ao uso das vestimentas, devido ao forte calor que atinge as plantações.

 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2