Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

Fumar no carro cria concentração de poluentes três vezes maior do que o limite da OMS (16/10/2012)
Veja on line

Níveis de poluição são prejudiciais especialmente a crianças, que podem apresentar problemas como asma ou patologias do ouvido

Fumar no carro cria uma taxa de poluição três vezes superior que o nível máximo estabelecido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para um ar de ambiente interno com qualidade. Esse nível é altamente prejudicial à saúde das crianças dentro do veículo, já que apresenta um risco para doenças como asma e outras complicações respiratórias. Essas são as conclusões de um estudo publicado nesta segunda-feira na revista Tobacco Control, que faz parte do grupo Bristish Medical Journal.
 
CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Second hand smoke in cars: assessing children’s potential exposure during typical journey conditions

Onde foi divulgada: revista Tobacco Control

Quem fez: Sean Semple, Andrew Apsley, Karen S Galea, Laura MacCalman, Brenda Friel e Vicki Snelgrove

Instituição: Universidade de Aberdeen, Escócia

Dados de amostragem: 83 veículos de fumantes e não fumantes

Resultado: Os carros de fumantes têm um nível de concentração de poluentes dez vezes maior do que o veículo de não fumantes e três vezes superior ao limite estabelecido pela OMS. A exposição de crianças a esses níveis é prejudicial à saúde respiratória, auditiva e em geral

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os efeitos negativos provocados pelo fumo passivo já são conhecidos — a exposição ao cigarro pode causar vários problemas de saúde nas crianças, como morte súbita, complicações respiratórias e patologias do ouvido. "As crianças são mais expostas ao risco porque têm uma frequência respiratória mais rápida e um sistema imunológico menos desenvolvido, além do que não podem se distanciar da fonte (de tabagismo), estejam em um carro ou em casa", afirma Sean Semple, pesquisador da Universidade de Aberdeen, na Escócia, e coordenador do estudo.


A pesquisa de Semple mediu a taxa de poluição por particulados de 83 carros durante um percurso de 27 minutos — desses veículos, 49 pertenciam a fumantes. O material particulado consiste em um conjunto de poluentes provenientes “das poeiras, fumaças e todo tipo de material sólido e líquido que se mantém suspenso na atmosfera por causa de seu pequeno tamanho”, segundo a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB). Algumas das principais fontes de particulados são veículos automotores, processos industriais e poeira do sol.

Fora dos limites — A equipe, então, observou que, nos trajetos de fumantes, a taxa de particulados alcançou uma média de 85 microgramas/m3, dez vezes superior ao nível observado nos trajetos de não fumantes (7,4 µg/m3 em média). O limite de concentração de particulados estabelecido pela OMS é de 25 µg/m3.

Segundo os autores do estudo, o aumento da taxa de partículas finas no ar é um fator de risco para diversas doenças cardiovasculares e respiratórias, assim como para o câncer de pulmão. Por isso, eles, no artigo, manifestaram apoio à proposta de proibir o tabaco nos carros, apresentada em 2010 pelo Royal College of Physicians, órgão que representa mais de 20.000 médicos e assessora o governo britânico. Vários países como Canadá, Estados Unidos, Austrália, Chipre e África do Sul já adotaram leis para proibir o fumo no carro quando há crianças a bordo.

(Com agência France-Presse)


 

 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2