Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

Espetáculo da Ignorância (11/10/2005)
Sérgio Boeira

SÉRGIO LUÍS BOEIRA *

 

            Na contramão da história, da ciência, da democracia e especialmente da ética pública, os governadores de SC e do RS (PMDB), assim como o prefeito Fernando Elias (PSDB), estão assumindo o papel de propagandistas da indústria da morte. Uma fábrica de cigarros de empresa multinacional está sendo construída em São José, no Sertão do Maruim, em área doada pela prefeitura. O espetáculo da ignorância é tanto que a doação do terreno foi aprovada por unanimidade na Câmara de Vereadores.

            Em tese de doutorado sobre as estratégias da indústria de tabaco mostrei que, nesse assunto, o espetáculo da ignorância não tem cor partidária – tanto a esquerda quanto a direita são extraordinariamente reacionárias quando podem arrecadar impostos e prejudicar a saúde pública com discursos e ações pró-indústria. Dizem que estão gerando empregos, mas isso é uma grossa mentira. A indústria de tabaco é uma das que mais demite no mundo. A maior empresa instalada no Brasil tinha 20.756 mil funcionários em 1989 e, em 1998, estava com apenas 7.202 empregados. As demissões não tiveram reações sindicais porque resultaram em acréscimo salarial dos que foram mantidos. Os sindicatos patronais e de trabalhadores da agricultura, assim como a Afubra (Associação dos Fumicultores do Brasil) defendem o setor de tabaco contra os interesses públicos. Isso pode ser comprovado com estudos do próprio Banco Mundial, que desde 1991 se recusa a financiar qualquer obra ligada ao setor. Calcula-se que o gasto público em combate às doenças tabaco-associadas seja 50% superior ao que é arrecadado em impostos. A cada ano a deseconomia do fumo gera uma perda de US$ 200 bilhões no mundo.

            A traição aos interesses públicos por parte de governadores eleitos raramente é confrontada pela mídia dos três estados do sul do Brasil. Com a ratificação da Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco, em fevereiro deste ano, o mercado externo tende a fechar-se e o que tem sido traição será percebido, enfim, como espetáculo da ignorância.

 

* Doutor em Ciências Humanas e professor / pesquisador na UNIVALI            

 

Sérgio Luís Boeira

Autor do Livro Atrás da Cortina de Fumaça. Tabaco, Tabagismo e Meio Ambiente: Estratégias da Indústria e Dilemas da Crítica. Itajaí: Editora UNIVALI, 2002. 475p.

 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2