Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

Bar põe fumo na rua (16/2/2005)
ACTBR

31.01.2005

Lídia Barata

Portugal - Muitos jovens aceitaram bem a medida e continuam clientes. Depois de ter fumado durante 35 anos, vício que deixou há dois anos e dois meses, Vítor Magro implementou desde dia 20 de Janeiro uma medida revolucionária no Altios, bar de que é proprietário em Castelo Branco: Não é permitido fumar.

Nas mesas, os cinzeiros deram lugares a jarras com flores e a máquina de tabaco foi recolhida pelo fornecedor. Sinais de proibição de fumar estão bem visíveis para quem entra. Acender um cigarro, além de ser proibido, é praticamente impossível.

Três dias depois do dono do Altios ter instituído a regra, o CM fez
manchete da lei que estava prestes a entrar em vigor e que prevê a
existência de salas de fumo em bares e restaurantes. No entanto, a nova lei não atormenta Vítor Margo: "Apesar de nela se prever um espaço para fumadores, eu prefiro que na minha casa seja assim. Sei que vou andar aqui uns tempos que mal hei-de ganhar para comer, mas não desisto e, se preciso for, arranjo outro trabalho", explicou o proprietário do bar.

A medida inédita foi aplaudida por uns, mas também mereceu a reprovação de outros. "Senti que houve uma quebra, mas não chegou aos 50 por cento", confessa Vítor Magro, confiante de que não irá passar disso, já que, enquanto vendedor de tabaco, sentiu que "nos últimos anos também tem havido quebra nas vendas, pois há menos fumantes."

O bar é um espaço muito frequentado por estudantes que, no entanto, não se afastaram do "Altios" por não se poder fumar ali dentro. "Sinceramente, uma pessoa sente-se melhor assim. Há dias estive aqui e se numa noite normal fumaria 10 ou 12 cigarros naquela foram apenas três, já que quando me apetecia fumar tinha de ir à rua. Desde esse dia passei a controlar-me mais", diz Fernando Santos, estudante. Embora não deixe de admitir que a medida pode ser encarada como impopular: "O hábito é tanto que a sociedade
ainda não está preparada para este tipo de propostas e aceitar de bom grado deixar de fumar em locais públicos."

Também Daniel Nogueira, outro estudante, apesar de fumante,  prefere locais onde não se fume "porque o ambiente é melhor, não fica saturado e não há aquela nuvem de fumaça incomodativa."

Determinado em manter a medida, Vítor Magro justifica a sua opção com uma pergunta: "Se até já estão a abrir restaurantes para vegetarianos, por que é que os não fumantes não hão-de ter um local que seja especialmente para eles?"

Aliás, diz a experiência ao dono do Altios que "há muitas pessoas que evitam sair à noite porque não gostam de estar em ambientes de fumo".

fonte:http://www.correiomanha.pt/noticia.asp?id=148369&idCanal=10

Virginia Prado
Regional Coordinator (Portuguese)
GLOBALink
 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2