Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

Números mostram o bom momento da fumicultura (9/10/2007)
Fabiana Fregona

FONTE: Gazeta do Sul - 09/10/2007 (Santa Cruz do Sul)

 

SAFRA 2007/2008 > SINDIFUMO ESTIMA PRODUÇÃO DE 703 MIL TONELADAS

 

 

Rodrigo/Ag. Assmann

Diretoria do sindicato reuniu a imprensa de toda a região para confraternização durante a 23ª Oktoberfest

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A cadeia produtiva do fumo vive um período de estabilização na produtividade. Depois de ter enfrentado dificuldades cambiais e climáticas, a previsão para a safra 2007/2008 é de que a produção atinja 703 mil toneladas na região Sul do Brasil.

Os números foram apresentados ontem no tradicional jantar oferecido para representantes da imprensa regional no estande do Sindifumo, junto ao parque da Oktoberfest. Em clima descontraído, como manda a Festa da Alegria, o presidente da entidade, Iro Schünke, ressaltou que será necessário o envolvimento de 182 mil famílias e o uso de 344 mil hectares na safra que está em andamento. Ele revelou também que o território cultivado deve sofrer uma redução de 5% em relação à última safra. "Isso faz parte dos ajustes do setor, considerando fatores econômicos e com o objetivo de manter a competitividade do produto brasileiro no concorrido mercado internacional", afirmou. Em relação ao número de famílias envolvidas, a variação é de 1% para menos, o que é visto como sinal de estabilidade.

O presidente também avaliou o comportamento da safra 2006/2007. Em sua análise o período foi de recuperação. "Graças ao clima favorável, tivemos uma produção mais adequada no que se refere à qualidade, além de uma produtividade acima da média histórica. E isso foi muito importante para o setor, após duas safras de qualidade abaixo do esperado", disse. Ele também apontou como decisivo o trabalho desenvolvido pela indústria com foco no atendimento aos clientes internacionais.

Além das projeções e estatísticas, um assunto que ainda repercute no setor fumageiro envolve a nova instrução normativa que estabelece a divisão do tabaco em 41 classes. A previsão é de que ela entre em vigor neste mês e já esteja valendo no momento da venda da safra. "Para as empresas seria mais importante permanecer com 48 classes, mas aceitamos os argumentos dos produtores", revelou.

Para divulgar a metodologia de classificação, está sendo elaborada uma cartilha para que o Regulamento Técnico de Identidade, Qualidade, Embalagem, Marcação e Apresentação do Tabaco em Folha Curado possa ser compreendido pelos agricultores nas regiões fumageiras.

 

 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2