Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

400 milhões de mortes evitadas... ...se metade dos fumadores abandonasse o tabaco nos próximos 20 anos (4/10/2007)
Fabiana Fregona

fonte: http://www.portugaldiario.iol.pt/noticia.php?id=861559&div_id=291

O director da Faculdade de Medicina do Porto afirmou hoje que seria possível evitar cerca de 400 milhões de mortes, a nível mundial, se nos próximos 20 anos metade dos fumadores deixasse de fumar.

«O intervalo entre o início do hábito de fumar até ao aparecimento de doença relacionada é de 20 a 40 anos», acrescentou Agostinho Marques, no âmbito das I Jornadas de Actualização em Pneumologia para a Medicina Familiar, a decorrer até quinta-feira, no Porto.

Estas jornadas destinadas aos médicos de família da região Norte são dedicadas ao tabagismo e aos programas de cessação tabágica (deixar de fumar).

Agostinho Marques, que é também responsável pelo Serviço de Pneumologia do Hospital de S. João, defendeu que o médico de família tem um papel fundamental na prevenção e no aconselhamento do fumador, alertando-o para a existência de ajuda especializada e adequada às suas necessidades, nomeadamente as consultas de cessação tabágica.

Em Portugal, segundo dados da organização das jornadas, os inquéritos nacionais de saúde, de 1998 e 2005, mostram que, nos homens, o hábito de fumar desceu de 32,8 por cento para 31 por cento, enquanto no mesmo período as mulheres fumadoras aumentaram de 9,5 por cento para 10,3 por cento.

Verificou-se também que o tabagismo é um problema maior na metade mais jovem da população portuguesa.

Na população masculina também é claro o aumento do número de ex-fumadores, na população mais velha, sugerindo que a maturidade e o aparecimento de doenças do tabaco levam muitos fumadores a abandonar o vício.

Quinta-feira será apresentado por Agostinho Marques o modo de acção de uma terapêutica que ajuda a deixar de fumar.

Esta terapêutica ajuda, segundo o médico, a eliminar os efeitos da privação do tabaco, como a irritabilidade, a ansiedade, o desejo compulsivo de fumar, os distúrbios do sono e o aumento do apetite e do peso.

55 por cento quer deixar de fumar

O fármaco, disponível nas farmácias desde Março, é de prescrição médica, sendo por isso obrigatório recorrer ao médico de família ou às consultas de cessação tabágica para iniciar o programa.

As restantes opções, que existem no mercado, são as chamadas TSN - Terapêuticas de Substituição de Nicotina e são de venda livre (pastilhas e pensos de nicotina).

Dois milhões de fumadores em Portugal

Em dois milhões de fumadores em Portugal, estima-se que 55 por cento queira deixar de fumar.

Agostinho Marques defende, por isso, que «é importante que se continuem a desenvolver novas terapêuticas antitabágicas, de forma a diminuir os números elevados de mortalidade e morbilidade gerados pelas doenças associadas à dependência do tabaco».

O tabagismo é considerado, pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a principal causa de morte evitável em todo o mundo.

Um terço da população mundial adulta, ou seja cerca de um bilião e duzentos milhões de pessoas, são fumadoras.

Na Europa, cerca de 700 mil pessoas morrem anualmente devido a doenças relacionadas com o tabaco.

 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2