Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

A indústria do tabaco tenta desenvolver um fumo que faça menos mal. Será que dá pra confiar? (9/6/2008)
Fabiana Fregona

fonte: http://super.abril.uol.com.br/forum/87742_assunto.shtml

 

R., 08 Junho 2008 - 04:24
Eu não fumo. Não gosto. Mas quem fuma o faz porque sente prazer ao fumar e deve ter todo o direito de fazê-lo, assim como tem quem usa alcool, quem come açucar, quem come gordura. Todas são substânicas nocivas em maior ou menor grau, mas proporcionam uma sensação que faz valer a pena para quem aprecia. Por outro lado, é claro que medidas reguladoras como probição de fumar em lugares fechados e restrições à publicidade do tabaco são bem-vindas porque visam assegurar que quem as pessoas sejam menos influenciadas quando resolvem fumar. O lançamento de um cigarro que provoque a mesma sensação de prazer que um fumante espera, mas faça menos mal à saúde é sem dúvida algo positivo. Assim como o seria um hamburger sem colesterol. Quanto a onerar o sistema público de saúde, isso não é exclusividade dos fumantes. Qualquer um que come carne, açucar, ou simplesmente é sedentário, também está onerando o sistema público de saúde e ninguem pega no pé dessas pessoas. Ainda. Mas o princípio fundamental do sistema de seguridade social é justamente dividir entre todos a conta que seria mais cara para alguns, se cada um fosse assumir os próprios custos individualmente. Culpar os fumantes, nesse sentido, é uma grande hipocrisia. Enfim, como eu disse antes, não fumo, nem tenho intenção. Mas gosto de saber que vivo em uma sociedade em que sou livre inclusive pra fumar, caso me dê na telha. E também gostaria de viver em uma sociedade que cuidasse da saúde de quem necessidade, independentemente da maior ou menos contribuição do próprio indivíduo para sua debilidade. Mas a cada dia estamos mais longe tanto da sociedade que garante a liberdade individual quanto da que assegura o direito à saúde.
Vera Lucia de Rezende Dib, 07 Junho 2008 - 12:19
Sou não fumante,não bebo e não uso droga alguma. "saúde é o que interessa,o resto não tem pressa". Dei uma olhada nos comentários dos fumantes,nessa página e fiquei pensando ....Caramba ,a única justificativa deles é procurar comparar o cigarro com outras coisas iguais ou pior,credo. E essa história de que só prejudicam a si mesmo? Por acaso qdo vão fumar vão para uma caixa lacrada que absorve a fumaça sem deixá-la se espalhar por ai, enfedorentando o ar e prejudicando os não fumantes que não tem nada a ver com isso? E qdo adoecem com as inumeras doenças provocadas pelo seu vício,se tratam particular,sem onerar o sistema de saúde que é pago por todos? Sem essa que so prejudicam a si! Enqto viverem em sociedade , o vício de alguns prejudicam a todos, por isso a minha sugestão é : Inventem um cigarro cuja absorção da fumaça seja total, nada de fumaça fedorenta no ar, toda ela dentro do pulmão de quem queira, e acaso adoeçam por suas escolhas,que tenham tratamento com um plano proprio de saude, custeado por eles e pela indústria fumageira. Que tal?
ze tabacão, 06 Junho 2008 - 15:52
comentário Na verdade ninguem vai parar de fumar com isso, só vai pagar mais, fumar mais, e vai demorar um pouco mais pra ficar doente, assim o unico que ganha com isso é a industria tabagista, bom pra eles, eu vou ficar mais pobre e viver um pouco mais pra continuar fumando e pagando .
SUPER BIGA, 05 Junho 2008 - 00:39
Quando li a reportagem achei fantastica, pois a muito tempo eu me perguntava por que nao inventam um cigarro mais "saudavel"? Porém concordo que as opiniões sobre o consumo de alcool pois a toda hora nos entopem de propagandas de bebidas e como se não bastasse centenas de musicas incitam que a bebida é tudo de bom! será que ninguém ve como ela destroi os lares!!! sei que fumar não faz bem a ninguém mas considero os riscos mais individuais. acredito que o governo, com estas propagandas naõ estão preocupados com a nossa saúde e sim com os gastos que o tabaco traz pois quanto mais sobrar mais eles vão roubar!!!!!
Paulo Roberto, 04 Junho 2008 - 18:16
Eu acredito que a diminuição da "toxicidade" do cigarro será sim benéfica para todos. para os não fumantes não há dúvidas, o ar que eles respiram conterá menos substâncias tóxicas e assim fará menos mal. Isso é claro partindo do pressuposto que o número de fumantes ñao vai aumentar, coisa que acredito ser verdade pois uma pessoa não começa a fumar por causa do mal que o cigarro faz ( exatamente o contrário) Os fabricantes de cigarros NÃO vão abrir mão dessa mina de ouro e NÃO vão deixar o cigarro menos viciante pois isso é que mantem seus clientes. Então, se os fumantes que não conseguem deixar de fumar se envenenarem menos, vai ser melhor pra eles. E para os fumantes ocasionais como a Camila, vão ter menos gengivite e com certeza também não vai fumar mais por conta disso.
Camila Valente, 04 Junho 2008 - 16:38
Eu fumo quando vou a bar, saio, essas coisas pra distrair. Não tenho hábito. É claro que, quando fico sozinha em casa, fumo tranquilamente. Não gosto da idéia de contar para os meus pais que eu sou fumante ocasional (?). Não me faz mal. Dá uma gengivite às vezes, mas nada de hemorragia. Como a Abdalla acima escreveu: nunca vi lares sendo destruídos por cigarro. Que ele não faz bem, todo mundo sabe. No entanto, as conseqüencias são super particulares.
Fco costa, 04 Junho 2008 - 09:18
Meu,deixa os cara fumar,o fumo é um psicotropico necessário,para algumas pessoas.E tem mais essa história que o fumo contém substãncias químicas é mentira,o papel que enrola os cigarros com certeza tem mas o fumo em si não,ele é um produto natural assim como o mate(erva).Tire a prova disto ser verdade,os charrutos cubanos,como são feitos,pega-se a folha do fumo e enrrola-se e pronto,qual o produto químico que entra aí nesta fórmula,nenhum.Eu odeio fumaça de cigarro,mas mesmo assim não vejo,não acredito nessa conversa de que o fumo tem várias substâncias quimicas,só se alguém colocar na fabrica,aí é outra história.
Vitor Fernandes, 03 Junho 2008 - 22:17
É uma indignação para os caros amigos, que tem o conhecimento de que o TABACO é um grande problema para nossa humanidade. Muitos sabem o mal que faz, e mesmo assim continuam no vicío, uns pelo fato que não conseguem parar e outros por "moda". Agora com essa idéia de fazer tabacos menos prejudicial a nossa saúde, muitos jovens poderam acharam o máximo essa idéia, de saber que agora conseguiram fazer um tabaco menos prejudicial a saúde, sem saber que por trás de tudo isso existe a palavra chave, o "vicio", começam sempre do mais fraco, aumentam o consumo de 1,2,3 e assim sucessivamente, assim por adiante a tendencia é só de aumentar o consumo e depois optar pelos mais fortes, até chegar ao ponto que se torna dependente daquela substância química. Enfim na minha opinião, deveria acabar com tudo isso. É claro que não seria da noite para o dia, mais sim do mesmo processo que o cigarro veio até o consumidor, ele deveria se abolir aos poucos, até não existir mais esse lixo em nossa sociedade.
Gabriel Henrique, 03 Junho 2008 - 19:40
Cigarro é cigarro e existem mais de 1.000 substâncias tóxicas nele,que bom vão tirar "100" isso não vai aumentar o tempo de vida dos fumantes,só o tempo dos clientes.
Vera Abdalla, 03 Junho 2008 - 16:32
Tomei conhecimento de que os maços de cigarros terão novas fotos mais impactantes para tentar convencer os tabagistas de abandonarem o vício. Como fumante que sou, fiquei imaginando porque são desenvolvidas propagandas e comerciais onde todos aqueles que tomam cerveja são mais felizes, ou aquele que assume a cor vermelha da tal bebida se torna mais sensual e até melhor: uma determinada empresa de bebidas criou até um clube, onde o associado é tratado como vip, ou seja, very important personal. O slogan do clube é que por consumir aquela bebida você irá atingir todas as suas metas de vida. Não me costa que o simples hábito de fumar cause danos a terceiros, na mesma intensidade que uma bebida possa causar. Nunca fui parada por um comando policial para conferirem quantos cigarros eu havia fumado até então. Nunca soube de um caso de uma família destruída, porque o marido em pleno porre de cigarros tenha alvejado seus familiares e depois atentado contra a própria vida. O cigarro causa danos sim, causa câncer, necroses, atinge fetos, mas tudo isso de maneira totalmente individual. E muitas vezes nem tanto, conheço pessoas que fumaram a vida inteira e tinham uma saúde de ferro. Outras, nunca fumaram, e viviam cheias de problemas. De novo, fiquei pensando na quantidade de agrotóxicos que consumimos diariamente, no ar que respiro todos os dias sem a menor opção de algo melhor, no açúcar, na gordura, na camada de ozônio, naquele caminhão de jogou toneladas de gás carbônico dentro do meu carro e meu deixou tossindo por mais de meia hora. E a culpa é do meu cigarro.
Vera Abdalla, 03 Junho 2008 - 16:32
Tomei conhecimento de que os maços de cigarros terão novas fotos mais impactantes para tentar convencer os tabagistas de abandonarem o vício. Como fumante que sou, fiquei imaginando porque são desenvolvidas propagandas e comerciais onde todos aqueles que tomam cerveja são mais felizes, ou aquele que assume a cor vermelha da tal bebida se torna mais sensual e até melhor: uma determinada empresa de bebidas criou até um clube, onde o associado é tratado como vip, ou seja, very important personal. O slogan do clube é que por consumir aquela bebida você irá atingir todas as suas metas de vida. Não me costa que o simples hábito de fumar cause danos a terceiros, na mesma intensidade que uma bebida possa causar. Nunca fui parada por um comando policial para conferirem quantos cigarros eu havia fumado até então. Nunca soube de um caso de uma família destruída, porque o marido em pleno porre de cigarros tenha alvejado seus familiares e depois atentado contra a própria vida. O cigarro causa danos sim, causa câncer, necroses, atinge fetos, mas tudo isso de maneira totalmente individual. E muitas vezes nem tanto, conheço pessoas que fumaram a vida inteira e tinham uma saúde de ferro. Outras, nunca fumaram, e viviam cheias de problemas. De novo, fiquei pensando na quantidade de agrotóxicos que consumimos diariamente, no ar que respiro todos os dias sem a menor opção de algo melhor, no açúcar, na gordura, na camada de ozônio, naquele caminhão de jogou toneladas de gás carbônico dentro do meu carro e meu deixou tossindo por mais de meia hora. E a culpa é do meu cigarro.
Marina, 03 Junho 2008 - 13:16
Com essa medida ridícula só aumentaria o número de fumantes no mundo... Tá aí uma boa propaganda para uma marca de ciagrros "o cigarro que faz menos mal", hahaha, fala sério!
Ediel, 02 Junho 2008 - 17:20
Em média uma carteira de cigarro tem mais de quatro mil substãncias.Se reduzissem iria ser bom para não fumantes e fumantes.
Diego B. Solamito, 02 Junho 2008 - 13:36
Acredito que seja possível, mas que ainda se está longe. Partindo do pressuposto que o cigarro tem dois problemas: 1) Vicia 2)Tem substâncias tóxicas. Seria possível criar um cigarro menos tóxico, ainda assim viciante. Porém, logicamente se o fator vício é muito alto, qualquer substância se torna tóxica. Portanto (acredito) que o X da questão é criar algo viciante (mas nem tanto) e o menos tóxico possivel.
Danilo, 02 Junho 2008 - 12:15
Na verdade eu acho que a produção de um cigarro menos nocivo nao ajuda em nada. O problema do vicio esta la no começo, na educação familiar. se todos prestassem um pouco mais de atenção em nao fumar perto dos filhos, ou protegessem eles dessa droga legalizada, o numero de fumantes no mundo iria diminuir com certeza. A longo prazo eu acho mais facil acabar com o numero de fumantes do que juntar esforços para inventar um novo tipo de droga menos nocivo. Inventar um droga que afete menos o organismo é ridiculo.
nanico e drigão, 02 Junho 2008 - 09:20
fumar:faz mal ao pulmão porque você tem que melhor atualmente a sua saúde não desgaste ela deste jeito!
nanico e drigão, 02 Junho 2008 - 09:20
fumar:faz mal ao pulmão porque você tem que melhor atualmente a sua saúde não desgaste ela deste jeito!
vik e jussi, 02 Junho 2008 - 09:15
No nosso Pais existe muito viçio do tabaco,infelismente algumas pessoas morrem por causa desse problema
luh e daya, 02 Junho 2008 - 09:10
Bom...o cigarro faz mal de qualquer jeito,a única diferença é que tem menos substâncias toxicas,para os fumantes não vai fazer muita diferença,pois já inalaram substâncias mais fortes.
Tayna, 02 Junho 2008 - 09:09
Pelo o quê eu entedi .O Brasil enfrenta vários problemas e um dos maiores o cigarro é um vicio mais esiste remedios mais não adiantaporque sò depende de nós .Isso sò depende de todos
alan e quenaz, 02 Junho 2008 - 09:09
eu acho que não vai dar serto. as pessoas fais a campanha para os fumantes parar de fumar mais eles não o bedese ese foi o noso comentario.
Larissa, 02 Junho 2008 - 09:08
Acho que não da para confiar nessa proposta, pois o cigarro faz mal de qualquer modo.
run, 02 Junho 2008 - 09:08
seu acho que não existe nehum tipo de cigarro que não faz mal aos pumoes isso é uma coisa orrivel que cada dia piora e vira um vicío. l
alexandre e lucas, 02 Junho 2008 - 09:05
o cigarro fas mal a todas as pessoas que fumam
Fernanda, 02 Junho 2008 - 09:03
Eu acho otimo e acho que podemos comfiar. porque as pessoas que não consequirem acabar com a vicil pode opitar para algo menos prejudicial a saude...
Renato, 02 Junho 2008 - 09:01
É uma proposta interessante,porém fará mal da mesma maneira ao longo do tempo e matará pessoas do mesmo jeito.
Firula, 01 Junho 2008 - 22:39
Qual a diferença? Todos que fumam sabe o mal que faz, e não acredito que as pessoas vão fumar mais por fazer menos mal. Essa guerra contra o cigarro é ridicula, igual as nova imagens que serão colocadas no cigarro. A unica reação que isso tem em mim é de rir.
Letícia, 01 Junho 2008 - 18:24
É triste nós termos que nos preocupar com o consciente das pessoas. Os fumantes estão TODOS cansados de saber que fumar causa diversos problemas para eles próprios. O fato não está no ato de fazer mal a saúde ... o vício é só mais um triste lamento no mundo (: Promover cigarros menos prejudiciais só é conveniente aos fabricantes que assim, ganharam mais uma renca de viciados subordinados a eles. Tornar o mal menos mal não existe.
Pedro, 01 Junho 2008 - 17:56
O grande problema é que quando eles finalmente conseguirem um cigarro menos prejudicial, esté custara mais que o dobro do cigarro"comum", e para piorar o cigarro comum ficará cada vez mais acessivel, enquanto o menos prejudicial ficará cada vez mais caro.
Wilson Palá, 31 Maio 2008 - 18:49
Se o fumante no ato do trago perdesse uma parte do corpo imediatamente, ele e os demais, com certeza iriam rever se vale realmente ser um fumante. Aliviar a dor é esconder o problema. ps sou fumante.
Carlo, 30 Maio 2008 - 19:07
Quanto ao comentário do antonio, existe meia verdade, o que não existe é meia mentira. Quando tu não conta a verdade inteira, escondendo parte da verdade, não está mentindo, mas não está contando a verdade inteira. Sobre a cigarro, mesmo se for menos prejudicial, ainda continuará prejudicando. O importante é que estão tentando diminuír os efeitos negativos. Sou contra os cigarros, mas acho que é melhor assim. Pedir para pararem de produzir cigarros é a mesma coisa que falarem pra os produtores largarem a sua fortuna. Eles jamais fariam isso. Por isso, enquanto não acabam com os cigarros, é muito bom que estejam diminuíndo as conseqüências do seu protudo.
antonio roque, 30 Maio 2008 - 18:16
existe diferença entre pouco e muito mal? aprendi quando criança, que não existe meia mentira ou meia verdade, meio certo ou meio errado, isso é coisa pra pizza, meio mussarela meio calabreza. temos é que ter consciência que cigarro faz mal,alcool faz mal e...ops tchau que a cerveja está esquentando
Kaio Palaro, 29 Maio 2008 - 15:48
Como vou saber se sim ou não, se mal lançaram o produto, e também não sou especialista, pelos danos causados até hoje com o tabaco o melhor é acabar de vez com a fabricação, vendas, exportaçoes e qualquer coisa.
 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2