Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

Contato com poluição corresponde a fumar dois cigarros por dia (2/5/2008)
Fabiana Fregona

fonte: http://www.opantaneiro.com.br/noticias/online.asp?id=70895

30/04

Estudos feitos nos laboratórios da USP indicam que em uma cidade com o ar poluído, o risco de infarto cresce 75% se comparado com uma cidade de ar limpo

"As chances de ocorrer um infarto em meio a um congestionamento crescem em duas vezes e meia" A poluição nas grandes cidades tornou-se um grave problema de saúde pública, principalmente para as doenças cardiovasculares. 

Só na cidade de São Paulo, o professor de Patologia da USP, Paulo Saldiva, constatou que a poluição é tão alta que seria o mesmo que as pessoas fumassem dois cigarros por dia. "Para quem fuma, não faz tanta diferença, mas para o não fumante cria condições para o desenvolvimento de várias doenças, entre elas as do coração", revela.

O professor explica que ficar exposto aos gases tóxicos danifica o funcionamento normal do coração. "Todo material particulado agride principalmente os sistemas respiratório e cardiovascular e temos um aumento da incidência de problemas do coração, especialmente infarto e angina", explica.

Estudos
Os estudos feitos nos laboratórios da USP indicam, da mesma forma que pesquisas semelhantes nos Estados Unidos, que numa cidade de ar poluído, como São Paulo, o risco de infarto cresce 75% se comparado com uma cidade de ar limpo. Esse índice, multiplicado por 16 milhões de habitantes, acaba representando centenas de mortes que poderiam ser evitadas.

A emissão de poluentes também favorece o efeito estufa, provocando alterações climáticas, como baixa umidade do ar e aumento da temperatura. "Se andarmos do parque Trianon até a calçada do Masp, iremos notar uma diferença de quase três graus, o que contribuiu para o risco cardiovascular", explica o professor.

Paulo Saldiva defende uma política urbana mais adequada já que o fumo você escolhe e a fumaça dos ônibus, caminhões e carros, não. "Precisamos olhar o problema de frente e buscar saídas imediatas para reduzir a emissão de poluentes", alerta e exemplifica: "As chances de ocorrer um infarto em meio a um congestionamento crescem em duas vezes e meia".

Desde a década de 80, Paulo Saldiva estuda, no Laboratório de Poluição Atmosférica Experimental da USP, as conseqüências da poluição do ar nas grandes metrópoles, especialmente em São Paulo. Os diversos trabalhos realizados por sua equipe apontando a poluição como fator de risco cardiovascular serão apresentados no XXIX Congresso da SOCESP - Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo. O evento será realizado entre os dias 1º e 3 de maio, no Expo Center Norte, em São Paulo.

 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2