Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

Fotos impactantes nos maços de cigarro: alguém realmente pára de fumar por causa delas? (28/5/2008)
Fabiana Fregona

fonte: http://oglobo.globo.com/pais/mat/2008/05/27/fotos_impactantes_nos_macos_de_cigarro_alguem_realmente_para_de_fumar_por_causa_delas_-546531877.asp

Publicada em 27/05/2008 às 20h19m

Bianca Kleinpaul - O Globo Online*

Uma das novas imagens divulgadas pelo Ministério da Saúde/ Divulgação

Pronto, lá vêm mais pedidos de troca de maços de cigarro no balcão da padaria, novas cigarreiras vendidas e outros colegas não-fumantes (e até os próprios) virando as fotinhos para baixo. Estes costumam ser os comentários dos viciados em nicotina, grupo do qual eu burramente faço parte, quando o Ministério da Saúde lança mais fotos de impacto para (tentar) horrorizar fumantes e/ou os potenciais fumantes.

Todos conhecem os riscos. Cada um sabe qual parte do corpo mais sofre (do pulmão ao cabelo, passando por dentes e pele - estes são os primeiros e os piores). Será a estratégia das fotos uma maneira eficaz de fazer alguém repensar o mal que faz a si próprio? Gostaria de ler mais sobre as pesquisas científicas que comprovem o potencial das imagens em causar repulsa ao cigarro. Ou pelo menos conhecer alguém que tenha parado de fumar dizendo "Ah, não agüentava mais ver tanta perna necrosada na minha bolsa".

Conheço, isso sim, fumante que odeia a imagem de baratas mortas. Mas por medo do inseto e é só pedir para trocar o maço. Há quem não suporte olhar as fotos. Vira o maço com a marca para cima. Mulheres se divertem com a imagem do cigarro brocha. E não é pela campanha de impotência sexual que recusam um homem fumante. Tem gente que gasta dinheiro em uma bela e cara cigarreira para não ver feto escuro dentro de vidro, criança usando bombinha de asma ou pulmão podre. E graças à ajuda de algumas marcas, tem fumante escondendo as imagens com os papéis de mesmo tamanho que vêm dentro do próprio maço com o falso intuito de propaganda de nova linha de cigarros. Enfim, há mil e uma maneiras de burlar o choque tão desejado pelos antitabagistas.

Assim como há formas de se divertir um pouco com um assunto tão sério: eu mesma vi um turista francês na tabacaria do aeroporto internacional do Rio escolhendo os maços a dedo porque ele colecionava cigarros com as fotinhos antitabagistas de países como o nosso (além do Brasil, Cingapura, Tailândia, Venezuela, Austrália, Uruguai, Chile e Jordânia, Bélgica, Reino Unido e Romênia adotaram a estratégia até agora). Agora ele terá cigarros brasileiros com cabeça aberta ensanguëntada para mostrar aos amigos franceses. Será que eles vão rir ou levar a sério o risco de derrame cerebral?

Espero do fundo do meu coração - a esta altura ele já deve estar cheio de guimba, segundo a nova imagem do Ministério da Saúde - que os jovens realmente pensem duas vezes antes de experimentar o fumo e não se tornar um viciado.Também desejo sorte a quem luta pela taxação extra dos cigarros. Nada como doer no bolso para se tomar vergonha na cara. E por que não exibir essas imagens horríveis no horário nobre da televisão? De preferência entre um comercial de carro em alta velocidade e outro de cheesburger gorduroso.

Bianca Kleinpaul é subeditora do Globo Online, fumante há 15 anos e ainda não se convenceu a parar de fumar, nem com ajuda das fotos nos maços

 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2