Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

Anvisa aprova novo aliado dos fumantes na luta contra o tabagismo (19/9/2006)
Paula Johns

Fonte: http://geral.dgabc.com.br/materia.asp?materia=550770

Das Agências

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou nesta quarta-feira o medicamento Champix (vareniclina), para auxiliar no tratamento do tabagismo. O produto, já lançado nos Estados Unidos, é único em sua forma de atuação: além de tirar a vontade de fumar, não deixa o fumante sentir prazer nas possíveis escapadas durante o tratamento antitabagista. O produto está previsto para ser lançado no Brasil no primeiro semestre de 2007.

Ao acender o cigarro e inalar sua fumaça, a nicotina sobe ao cérebro e se prende a estruturas chamadas receptores, da mesma forma que uma chave se encaixa a sua fechadura. Ao destrancar a "fechadura", a nicotina desencadeia uma série de ações responsáveis por acionar o circuito do prazer. Esse efeito dura poucos segundos e logo o fumante está sedento por mais nicotina. A falta da nicotina causa uma fissura pela substância, podendo provocar uma síndrome de abstinência. Isso é o vício, uma dependência química e psicológica à nicotina: o tabagismo.

O Champix foi desenhado especificamente para ativar parcialmente o receptor da nicotina: ele reduz a intensidade do desejo pelo cigarro e, ao mesmo tempo, diminui os sintomas relacionados à abstinência. "Se uma pessoa não resiste e fuma um cigarro durante o tratamento, Champix tem o potencial de demover a sensação de prazer associada ao fumo", explicou João Fittipaldi, diretor médico da Pfizer. "Isso ajudará a prevenir a instalação de um ciclo vicioso e fortalecerá o paciente a alcançar o sucesso no tratamento."

Estudos com o Champix, que serviram de base para sua aprovação tanto nos EUA como no Brasil, envolveram mais de dois mil tabagistas que fumavam em média 21 cigarros por dia durante 25 anos. Pacientes que receberam Champix por 12 semanas quadruplicaram a chance de parar de fumar, quando comparados aos que usaram placebo, e dobraram a possibilidade de largar o vício quando comparados aos que usaram cloridrato de bupropiona. Após um ano, um em cada cinco pacientes que receberam Champix ainda estava livre do cigarro. Para os demais, um tratamento adicional com Champix por mais 12 semanas aumentou a chance de sucesso a longo prazo.

O tabagismo é a principal causa prevenível de morte no mundo. O cigarro danifica praticamente todos os órgãos do corpo. Vários estudos estatísticos indicam que os fumantes querem largar o cigarro. No entanto, estima-se que apenas de 0,5% a 5% conseguem sem ajuda médica, segundo dados da Organização Mundial da Saúde. 

Há cerca de 1,3 bilhão de fumantes no mundo. Aproximadamente cinco milhões de pessoas morrem em decorrência do cigarro no mundo: é uma morte a cada oito segundos. Estima-se que no Brasil um terço da população adulta seja fumante - 16,7 milhões de homens e 11,2 milhões de mulheres -, segundo o Instituto Nacional do Câncer.  São 200 mil óbitos por ano relacionados ao fumo no país.

 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2