Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

Mortes provocadas por cigarro aumentaram 114% em um ano (5/6/2006)
ACTBR

Fonte: Jornal da Paraiba - 3 de junho 2006

JULIANA BRITO

Em 2005, 283 pessoas morreram na Paraíba em decorrência de câncer de pulmão, laringe, faringe e boca, provocados pelo consumo de cigarro. As estatísticas aumentaram 114%, em relação à média de 2004, período em que foram registrados 132 óbitos relacionados ao tabaco. Somente no ano passado, 420 pessoas foram internadas em hospitais do Estado para tratamento de neoplasia maligna - nome científico deste tipo de enfermidade.

Foram 146 óbitos por câncer de pulmão, 47 de laringe, 28 de faringe e 63 de boca. Entre as internações, foram registradas 87 por câncer de traquéia, brônquios e pulmão, além de 69 casos de câncer de laringe e outros 264 de boca e faringe. Os números, fornecidos pela Secretaria Estadual de Saúde (SES) da Paraíba, dão conta ainda de que a quantidade de fumantes na Paraíba! atingiu a marca dos 720 mil em 2005.

“A dependência do tabaco é uma doença, tornando o fumante um dependente químico”, afirmou a coordenadora do Núcleo de Doenças Crônico-degenerativas da Secretaria Estadual de Saúde (SES), Lourdes de Fátima Sousa. Ela destaca que o consumo de cigarro é responsável por provocar outros tipos de câncer, como colo do útero, mama e próstata. Além de câncer, o cigarro está relacionado a outras enfermidades como doenças cérebro-vasculares, doença pulmonar obstrutiva crônica e cardiopatias e impotência sexual.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) - que há cerca de seis anos passou a considerar o tabagismo como doença - o cigarro é responsável por quase 10 mil vítimas, diariamente, em todo o mundo. Como parte da ofensiva proposta pelo Ministério da Saúde para o combate ao tabagismo, no Dia Nacional sem Tabaco, comemorado desde 1997 no dia 31 de maio, dois centros de atenção municipal serão implantados na capital! , sendo um no Centro de Assistência Integral à Saúde, em Mangabeira e outro no Centro de Atendimento Médico Especializado – Primavera, em Jaguaribe.

“O usuário que quer parar de fumar vai à unidade de saúde da família mais próxima e será encaminhado para os centros”, ressaltou a chefe da Sessão de Doenças e Agravos Não-Transmissíveis, da Vigilância Epidemiológica do Município, Ane Jaqueline Roque Barreto. Ainda como parte da programação no Estado, a campanha “Ambientes Fechados Livres de Cigarro”, lançada recentemente em João Pessoa, será lançada amanhã no município de Cabedelo.

De acordo com Lourdes de Fátima, a medida entrou em vigor na capital em cumprimento à portaria federal nº 9.294, de 15 de julho de 1996. As denúncias referentes à existência de pessoas fumando em ambientes fechados - a exemplo de bares, restaurantes e shoppings centers - podem ser realizadas através do telefone 0800-28-14020. Os fumantes interessados em combater o vício também podem entrar em contato com o serviço do Ministério da Saúde, ofe! recido gratuitamente no País. As informações sobre atendimento nos Estados podem ser obtidas através do telefone 0800-703-7033. Em João Pessoa, o atendimento é realizado no Centro de Atenção Psicossocial (Capes), localizado na rua Engenheiro Leonardo Arcoverde, em Jaguaribe.

 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2