Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

Manifestação em Brasília lembra Dia Mundial sem Tabaco (31/5/2006)
ACTBR

Fonte: http://www.radiobras.gov.br/materia_i_2004.php?materia=266215&q=1

Irene Lôbo
Repórter da Agência Brasil


Brasília – O Dia Mundial sem Tabaco foi lembrado hoje (31) em Brasília com uma caminhada pela Esplanada dos Ministérios, que reuniu pouco mais de 100 pessoas. No gramado em frente ao Congresso Nacional, 2.600 cruzes foram fincadas para simbolizar as pessoas que morreram no Distrito Federal vítimas de doenças relacionadas ao tabaco. Também simbolizando as vítimas, foram soltos 500 balões pretos. Atores vestidos de caveiras encenaram uma peça em que fumavam um cigarro gigante e, ao final, morriam.

Dados da Secretaria de Saúde do Distrito Federal mostram que em 2005, 5 milhões de pessoas morreram em todo o mundo devido a doenças relacionadas ao consumo de cigarros, tais como infarto, enfisema pulmonar, vários tipos de câncer e doenças vasculares, entre outras. No Brasil foram registrados 210 mil óbitos.

Neste ano, a Organização Mundial da Saúde (OMS) escolheu o tema "Tabaco, Mortal sob Todas as Formas e Disfarces", a fim de alertar as pessoas sobre as estratégias que os fabricantes de cigarro utilizam para aumentar a venda desses produtos. Uma das mais conhecidas é acrescentar nas embalagens as palavras light, suave, baixos teores, embora os dados científicos comprovem que todos os cigarros causam malefícios à saúde.

No gramado da Esplanada dos Ministérios, o vendedor Girleudo Marinho, 35 anos, foi uma das pessoas que realizou gratuitamente o teste de capacidade pulmonar. Fumante há 17 anos, ele não se surpreendeu quando a máquina apontou uma capacidade de apenas 75%. "Eu pretendo parar, porque o cigarro causa cansaço, falta de resistência física e a memória fica ruim", afirmou.

O motorista Evânio Soares dos Santos, de 32 anos, fuma 10 cigarros por dia há mais de 10 anos. Apesar de saber dos malefícios à saúde causados pelo cigarro, ele disse que por enquanto não pretende parar de fumar. "Gosto do sabor do cigarro, mas acho que as pessoas não deveriam fumar", acrescentou.

A coordenadora do grupo de tabagismo do Ministério da Saúde, Carla Baracat, informou que o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece em todos os estados para as pessoas que desejam parar de fumar apoio psicológico, acompanhamento médico e medicamentos que incluem antidepressivos, adesivos e gomas de mascar.

"A primeira coisa que nós temos que fazer é conscientizar a pessoa de que o cigarro é maléfico para a saúde dela. Enquanto as pessoas não tiverem essa consciência, elas não vão acreditar em nada e qualquer campanha que for feita não vai sensibilizá-la, porque ela está dependente de uma composição química".

 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2