Artigos
Dados
Fatos em Destaque
Pesquisas
Publicações
Notícias
Rede DCNT

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

Não há incentivo ao movimento, diz ultramaratonista sobre sedentarismo (28/3/2017)
Folha de S. Paulo

http://bit.ly/IncentivoExercícios

 Pequenas atitudes cotidianas, como estacionar o carro longe da entrada do shopping, utilizar escadas em vez do elevador ou caminhar até a máquina de café do escritório -dispensando a cadeira de rodinhas–, repetidas diariamente, podem contribuir com o combate ao sedentarismo.

A opinião foi exposta pelos membros da terceira mesa do segundo dia do 4º Fórum Saúde no Brasil, promovido pela Folha e patrocinado por Amil, Fenasaúde e Abimed.

O fisiologista e médico do esporte Paulo Zogaib lembra que o ser humano, por essência, tende a fazer menor esforço possível.

"À medida que faço um esforço, o corpo cria adaptações para que isso demande menos energia da próxima vez. Cada vez fico mais eficiente, poupo energia. Isso dá uma sensação de estabilidade ao corpo e leva ao sedentarismo", afirma.

O advento da tecnologia torna ainda mais fácil que o ser humano gaste cada vez menos energia, uma característica já inerente à espécie, diz.

"Nos últimos 50 anos, o meio ambiente mudou muito. Hoje há muito mais conforto, muito mais alimentos disponíveis. Isso leva as pessoas a ser sedentárias", afirma o consultor de fitness Marcio Atalla.

"A gente vai ao shopping e estaciona perto da entrada. Se não conseguimos essa vaga, ficamos frustrados", completa.

Rodolfo Lucena, ultramaratonista e jornalista, chama a atenção para como as obrigações do dia a dia também agravam a situação.

"O pessoal fica em escritório praticamente o dia inteiro sentado em frente ao computador. O incentivo ao movimento não existe, pelas próprias exigências da sociedade, dos compromissos que cada um tem de cumprir", avalia.

Confira a matéria na íntegra clicando no link.

 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2