Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

Para cardiologista, está mais fácil parar de fumar (30/5/2007)
Paula Johns

Fonte: Agência Estado
28/05/2007

Para cardiologista, está mais fácil parar de fumar Por Lola Felix São Paulo, 28 (AE) - A cardiologista do Incor Jaqueline Issa acredita que a mudança de conceito sobre o tabagismo - que deixou de ser tratado como falha de caráter para ser considerado doença - facilitou o tratamento para o vício. Autora do livro "Deixar de Fumar Ficou mais Fácil" (MG Editores), ela frisa que a única coisa do tratamento que não mudou foram as recaídas do paciente.

AGÊNCIA ESTADO - Deixar de fumar ficou mais fácil, mas ainda é difícil, certo? JAQUELINE ISSA - O tratamento, embora mais fácil, ainda envolve recaídas. Mas a abordagem do tabagismo mudou - o que era visto como falha de caráter agora é considerado doença. Além disso, o surgimento de novos medicamentos, com destaque para o Champix, que tem um mecanismo de ação novo, faz crescer o contingente de ex-fumantes.


AE - Quem está fumando mais? JAQUELINE - As mulheres. Elas usam o cigarro como redutor de tensão. Isso dificulta mais o tratamento antitabagismo. Os homens usam o cigarro para aumentar a concentração, a cognição e também os momentos de prazer. AE - Antes, o cigarro era uma espécie de bilhete para o mundo dos adultos. Como ele é encarado hoje? JAQUELINE - O cigarro é malvisto e os ambientes favorecem à cessação. Por isso, o número de fumantes tem diminuído. Entre os motivos que fazem a pessoa deixar de fumar, o apelo social vem em segundo lugar. A saúde ainda está em primeiro.


 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2