Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

Fumantes caíram de 26% para 22% da população em 6 anos (14/9/2008)
Folha S. Paulo

 

Fumantes caíram de 26% para 22% da população em 6 anos

Mulheres fumantes caíram de 20% para 18% no mesmo intervalo; uso do cigarro predomina na faixa etária que vai de 45 a 59 anos

Tabagismo diminuiu mais entre homens; de 2002 a 2008, grupo passou de 32% para 26%, segundo pesquisa Datafolha

DA REPORTAGEM LOCAL

Nos últimos seis anos, a parcela da população brasileira que fuma caiu de 26% para 22%, mostra a pesquisa Datafolha realizada na semana passada em todas as regiões do país.
Foram ouvidas pessoas com 18 anos ou mais. Elas responderam à seguinte pergunta: "Você costuma fumar cigarros, mesmo que de vez em quando?".
Apesar de o hábito de fumar ter caído em ambos os sexos, a pesquisa mostra que o problema continua sendo maior entre os homens. Hoje, 26% deles se dizem fumantes. Entre as mulheres, o índice é de 18%.
Em 2002, os índices de fumantes eram de 32% dos homens e de 20% das mulheres. Nesse intervalo de seis anos, portanto, mais homens deixaram de fumar.
De acordo com especialistas, os brasileiros estão parando de fumar por dois motivos principais. Primeiro, em razão de diversas restrições impostas pelo governo -como o fim da propaganda de cigarros e a proibição de fumar em locais fechados. Depois, porque as pessoas recebem cada vez mais informações sobre os malefícios que o tabagismo causa à saúde.
Das faixas etárias, as que mais têm fumantes são a que vai de 45 a 59 anos (27%) e a que vai de 35 a 44 anos (25%). Dos níveis de escolaridade, a maior concentração de fumantes está nas pessoas que cursaram apenas o ensino fundamental (26%).
Das faixas de renda, fumam mais as pessoas com ganhos familiares superiores a dez salário mínimos (26%). Considerando-se as regiões, o tabagismo está mais presente no Sul (29%) e no Sudeste (23%) e menos no Norte/Centro-Oeste (17%) e no Nordeste (18%).
Segundo a pesquisa Datafolha, a maior parte dos fumantes consome até dez cigarros por dia (57%). Uma parcela pequena fuma mais de 20 cigarros (8%). A média nacional é de 13 cigarros por dia.

Vício
A dificuldade que os fumantes têm para largar o vício é explicada pela nicotina, ingrediente básico do cigarro. A cardiologista Jaqueline Issa, do programa de tratamento do tabagismo do InCor (Instituto do Coração), afirma que essa substância provoca a liberação de dopamina no organismo -um neurotransmissor ligado ao prazer e ao bem-estar.
"A nicotina só não provoca mais liberação de dopamina que a cocaína e as anfetaminas. O uso dessas drogas deixa a pessoa feliz e a torna escrava do prazer", afirma.
Segundo dados do Inca (Instituto Nacional de Câncer), que é ligado ao Ministério da Saúde, do cerca de 1,25 bilhão de fumantes no planeta, mais de 30 milhões são brasileiros. O tabagismo é considerado a principal causa de mortes evitáveis no mundo. (RICARDO WESTIN)

 


 

 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2