Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

Fumantes passivas, crianças podem sofrer com doenças respiratórias (6/10/2008)
Jornal O Serrano

http://www.oserrano.com.br/mais.asp?tipo=Local&id=6765

Estudo realizado pelo Inca e UFRJ mostra que pelo menos sete brasileiros que não fumam morrem a cada dia por doenças provocadas pelo tabaco

 

Segundo o estudo "Mortalidade atribuível ao tabagismo passivo na população urbana no Brasil", realizado pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca) e pelo Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), as pessoas não -fumantes expostas à fumaça provocada pelo tabaco também têm a saúde prejudicada e podem desenvolver as mesmas doenças dos tabagistas. De acordo com os resultados da pesquisa, pelo menos sete brasileiros não-fumantes morrem a cada dia, ou mais de 2600 pessoas por ano, no país.

 

"O tabagismo continua sendo a causa de milhões de mortes no mundo e a expectativa é que esse número continue crescendo. Fumar perto de crianças faz com que estas sejam fumantes passivas e tenham pior qualidade de vida", conta o Dr. Roberto Rodrigues Jr., pneumologista do Delboni Auriemo Medicina Diagnóstica/ DASA.

 

"Contudo, ficaram de fora dessa estimativa pelo menos 40% dos óbitos, possivelmente associados ao fumo passivo, como a síndrome da morte súbita da infância e doenças respiratórias crônicas. Também não entraram na pesquisa os abortos provocados pelo tabagismo e morte súbita na infância", completa o pneumologista.

 

Fumar em ambientes com crianças pode gerar uma série de problemas à saúde, como maior risco de pneumonias, sinusites, amigdalites, asma brônquica, traqueobronquites e a indução ao hábito do tabagismo. Aos pais que têm dificuldade em parar com o vício, o aconselhável é fumar em locais onde a criança não transite. "Não adianta fumar em janelas ou portas, o ideal é que saia de casa e evite poluir o ambiente domiciliar", alerta Dr. Rodrigues Junior.

 

Existem diversos tipos de exames que auxiliam à diagnosticar as doenças acarretadas pelo tabaco, e o tratamento é feito basicamente por meio de acompanhamento médico e remédios.

 

A pesquisa estimou a proporção de óbitos considerando apenas as três principais doenças relacionadas ao tabagismo passivo: câncer de pulmão, doenças isquêmicas do coração e acidentes vasculares cerebrais. O objeto do estudo foi a população adulta, acima de 35 anos, e de 15 capitais do Brasil. É a primeira vez que um estudo desse gênero é realizado no País.
 

 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2