Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

De cada 100 estudantes de escolas públicas do DF, 18 fumam regularmente (12/1/2010)
Correio Braziliense

De cada 100 estudantes de escolas públicas do Distrito Federal, 18 fumam regularmente. O dado assustador é de uma pesquisa realizada pela Secretaria de Saúde do DF em 2008, a pedido do Ministério da Saúde. O estudo também aponta que, normalmente, os alunos têm o primeiro contato com o cigarro aos 14 anos. Atualmente, Brasília tem 310 mil fumantes. Mesmo com o número alarmante, a quantidade de fumantes tem caído. Em 1997, 39% da população fumava, já em 2009 as estatísticas são de 14% dependentes de cigarro em todo o DF.

Segundo o coordenador do Programa de Controle de Combate ao Câncer e ao Tabagismo da Secretaria de Saúde, Celso Antônio Rodrigues da Silva, 217 pessoas perdem a vida por mês no DF vítimas do cigarro, o que representa quase oito mortes por dia. “Os jovens entre 14 e 24 anos são o principal público-alvo da indústria do tabaco, hoje as garotas aderem mais ao tabaco do que os garotos”, afirma Silva. Por outro lado, os fumantes acima de 40 anos são os que mais procuram ajuda para combater o fumo.

Tratamento
O coordenador do programa também dá dicas para as pessoas que pretendem largar o cigarro. “Compartilhar o problema com grupos de ajuda ou amigos e praticar exercícios físicos são estratégias que podem ajudar a parar de fumar”, aconselha. Também existe no DF o Centro de Referência do Programa de Controle de Combate ao Câncer, que funciona 24 horas por dia. Durante o tratamento, o paciente recebe apoio de médicos, assistentes sociais, psicólogos e enfermeiros. Segundo dados do Programa, 80% das pessoas que procuraram ajuda nos Centros de Referência, conseguiram parar de fumar.
No DF existem 34 Centros de Referência para combater a propagação do tabagismo. As doenças mais causadas pelo fumo são: infarto, derrame cerebral, câncer no pulmão, na boca e no esôfago.

A Coordenação do Programa de Controle do Tabagismo no DF também trabalha com professores de escolas públicas e particulares, para que eles incorporem no plano pedagógico o tema tabagismo e discutam com os alunos.


Alto custo
O Governo do Distrito Federal gasta, em média, R$ 12 milhões por mês com tratamento médico-hospitalar de fumantes. Os cigarros vendidos no DF geram R$ 3 milhões em impostos. Aqueles fumantes que precisam de medicamento, podem conseguir de graça nos próprios Centros de Referência. É feita uma reposição de nicotina através de adesivo ou nos casos mais graves é passado um antidepressivo.


Campanha contra o tabaco
Todos os meses, o Hospital Universitário de Brasília (HUB) abre 15 vagas para grupo terapêutico de pessoas que desejam parar de fumar. Os candidatos podem largar o vício com a ajuda de um psicólogo, uma psiquiatra, um nutricionista, remédios e terapias de apoio.

A primeira reunião deste ano será nesta sexta-feira (15/1), no Serviço de Atendimento Médico, ambulatório 2, HUB (L2 Norte, quadra 604/605). Os fumantes devem comparecer ao local às 8h.
 

 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2