Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

Relatórios mostram os efeitos na saúde da restrição ao fumo em Iowa, nos Estados Unidos (18/1/2010)
Gazette Communications

Reportagem publicada no jornal Gazette Communications, em 18/01/2010, por Cindy Hadish

Um novo relatório mostra que as restrições ao fumo em Iowa já levou a uma diminuição nas internações por doenças cardiovasculares.

De acordo com relatório da Universidade de Iowa e do Departamento de Saúde Pública, a maior queda foi em doença do coração, a qual mostrou uma média de 24% de redução em internações hospitalares desde que a “Smokefree Air Act” (tradução livre para lei que cria ambientes livres do tabaco) foi implementada em 2008.

Isso representa menos 2.324 cidadãos de Iowa com a doença – a maior causa de morte nos Estados Unidos – em comparação com os três anos antecedentes.

“Isto representa muito dinheiro também, se se considerar este aspecto”, diz Christopher Squier, um dos autores do relatório.

O ato proíbe fumar em quase todos os lugares fechados públicos de Iowa, incluindo restaurantes e bares.

Squier, professor de patologia oral na Universidade de Iowa, diz que a diminuição é associada à exposição à fumaça do tabaco. Mesmo 30 minutos de exposição pode desencadear doenças em pessoas que são vulneráveis, diz ele, por causa dos efeitos da fumaça nos vasos que fornecem sangue ao coração.

“Conforme temos cada vez mais ar limpo, as pessoas não estão mais expostas”, diz Squire.

Ele apontou que o benefício aparenta aumentar com o tempo, com uma diminuição de mais de 40% em internações de doenças coronárias em junho de 2009 comparadas com dados de junho de 2008.

Também foram percebidas diminuições nos índices de internações hospitalares para ataque cardíaco, a principal causa de morte no mundo. Esses índices caíram 8%, o equivalente a 483 cidadãos do estado de Iowa com a doença, comparadas com dados dos três anos anteriores.


Índices de derrame – a principal causa de deficiência de adultos nos EUA e a segunda causa de mortes no mundo – também diminuíram.

Após a restrição ao fumo, índices de internações por derrame nos hospitais de Iowa caíram cerca de 5%, representando 347 cidadãos do estado a menos com a doença, em comparação com os três anos anteriores.

Internações hospitalares para infecções renais e pancreatites, doenças controladas no estudo, não mudaram após a restrição ao fumo.

Squier disse que não ficou surpreso com os resultados, já que estudos em outros lugares como no Colorado, Nova Iorque e Escócia mostraram reduções similares. Por exemplo, um relatório do Instituto de Medicina do ano passado mostrou redução de 6% a 47% em ataques cardíacos após restrição ao fumo onde esta medida foi implementada, baseado em um grande número de estudos.

Squier disse que levará mais tempo para se ver os efeitos nos índices de câncer.
“Em 20 anos é quando poderemos ver o resultado ”, diz ele.

O relatório foi apresentado em 14 de janeiro, pela Sociedade Americana do Câncer em um café da manhã na Assembléia Legislativa, na capital do estado, Des Moines.
 

 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2