Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

Fumantes representam menos de 15% da população, diz Saúde (10/4/2012)
G1

http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2012/04/fumantes-representam-menos-de-15-da-populacao-diz-saude.html

Quantidade de fumantes caiu de 15,1% em 2010 para 14,8% em 2011.
Consumo abusivo de bebida alcoólica foi de 18% para 17%.

 

Nathalia PassarinhoDo G1, em Brasília

Pela primeira vez desde que a medição dos dados começou em 2006, os fumantes no Brasil representam menos de 15% da população, revelou nesta terça-feira (10) a pesquisa Vigitel (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico) divulgada pelo Ministério da Saúde.

O levantamento, divulgado anualmente pelo ministério desde 2006, traz um diagnóstico da saúde do brasileiro a partir de questionamentos sobre os hábitos da população, como tabagismo, consumo abusivo de bebidas alcoólicas, alimentação e atividade física. Em 2011 foram entrevistadas 54.144 pessoas de janeiro a dezembro nas 26 capitais brasileiras e no Distrito Federal..

De acordo com o levantamento, o percentual de fumantes passou de 15,1% em 2010 para 14,8% em 2011. Quando a pesquisa começou a ser feita, em 2006, a proporção de fumantes no país era de 16,2%.

O número de fumantes pesados – que fumam mais de 20 cigarros por dia – também caiu e está em 4,3%.

“Pela primeira vez estamos abaixo de 15% da nossa população e isso nos incentiva a intensificar as medidas para reforçarmos a luta contra o tabagismo. Há um público com menor escolaridade e mulheres que precisamos intensificar a tendência de queda”, afirmou o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

A frequência de fumantes é maior entre homens (18,1%) do que entre as mulheres (12%). No entanto, a população masculina lidera a redução do hábito de fumar – 25% dos homens declararam ter parado de fumar.

A pesquisa revela ainda que 11,8% dos brasileiros são fumantes passivos – pessoas que não fumam, mas moram com pelo menos um fumante. Além disso, 12,2% das pessoas que não fumam convivem com algum colega fumante no trabalho.

De acordo com o ministério, o Sistema Único de Saúde (SUS) gasta R$ 19 milhões por ano com diagnóstico e tratamento de doenças causadas por tabagismo passivo.

Escolaridade
Ainda de acordo com os dados, quanto maior a escolaridade, menor a chance de a pessoa começar a fumar. O percentual de fumantes com até oito anos de estudo é de 18,8%, quase o dobro das pessoas com mais de 12 anos de estudo (10,3%).

Capitais
A capital com maior percentual de fumantes é Porto Alegre (22,6%), seguida por Curitiba (20,2), e São Paulo (19,3%). As capitais com menos fumantes são: Maceió (7,8%), Salvador (8,6%), Aracaju (9,4%) e João Pessoa (9,4%).

No Distrito Federal o percentual é de 13,5% e no Rio de Janeiro é de 14,1%.

Bebida alcoólica
A pesquisa do Ministério da Saúde também revela uma pequena queda no consumo abusivo de álcool. A frequência do consumo em excesso de bebida alcoólica num período de 30 dias foi de 17% em 2011, contra 18% em 2010.

O consumo em excesso é maior entre os jovens de 18 a 24 anos (20,5%). Na população com idade a partir de 65 anos a proporção é de apenas 4,3%.

O percentual de homens que consomem álcool em excesso é de 26% contra apenas 9% de mulheres. A proporção de homens entre 18 e 24 que bebem é de 30,3%, quase três vezes maior que as mulheres da mesma faixa etária (11,5%).

A pesquisa mostrou ainda que o consumo de álcool aumenta com a escolaridade. A proporção entre pessoas com mais de 12 anos de estudo foi de 20,1%, ao passo que 16,9% dos que estudaram até oito anos declararam consumir álcool em excesso.

 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2