Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

Proibida a produção de cigarro com sabor ou aroma (14/8/2013)
O Globo

Norma da Anvisa, pioneira no mundo, passa a valer a partir de 14 de setembro

-Brasília- A partir de 14 de setembro, começa a vigorar a proibição de produção de cigarros com sabor ou aroma. Segundo o diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Dirceu Barbano, que tratou do tema segunda-feira, no seminário anual da Aliança de Controle do Tabagismo (ACT), inicialmente sairão do mercado todos os produtos com sabores característicos de mentol, cravo, canela, chocolate, baunilha, morango e conhaque. Já outros aditivos, como o açúcar, serão analisados por uma comissão de especialistas em um prazo máximo de 12 meses.

"O Brasil será o primeiro país no mundo a tirar cigarros com sabor do mercado", destacou Barbano, garantindo que a comissão não terá representantes da indústria do tabaco.

"A norma foi alterada por pressão da indústria do fumo. Na verdade, a proibição será parcial, postergando o prazo em um ano para a retirada total dos aditivos que mascaram o sabor do tabaco. A decisão é um retrocesso, contrariando inclusive pareceres da área técnica da própria Anvisa, que argumentam que alguns aditivos aparentemente não mudam o sabor, mas quando combinados tornam o cigarro mais palatável e têm o mesmo efeito dos sabores característicos" disse Paula Johns, diretora da ACT, em nota da Anvisa.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, 90% dos fumantes iniciaram o hábito antes dos 19 anos e os jovens são o principal alvo da indústria do tabaco. Menta, cacau, baunilha e canela são alguns dos sabores usados para camuflar o gosto ruim e tornar o ato de fumar mais agradável, especialmente na primeira vez.

 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2