Agenda
Artigos
Boletim
Campanhas
Enquetes
Notícias
Press Releases

 

 
 

 
Principal > Comunicação > Notícias

notícias

Consenso antitabagista (24/9/2007)
Fabiana Fregona

Fonte: Folha de S.Paulo - 24/09/2007

A PARCELA de fumantes na população brasileira diminui e vai convergindo para padrões de nações desenvolvidas. Os números da pesquisa Datafolha publicada ontem, associados a dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), confirmam essa percepção.
De acordo com o instituto, 23 brasileiros adultos em cada 100 são tabagistas -um contingente de 27,5 milhões de pessoas. Em 2002, o percentual de fumantes era de 26%. Embora a variação esteja dentro da margem de erro da pesquisa, um estudo da OMS publicado em julho dá conta de que o percentual de fumantes no final da década de 1980 era de 34,8%. Não há dúvida, portanto, sobre a tendência de queda.
Diminuiu a tolerância da sociedade ao cigarro, no Brasil e no mundo. Políticas drásticas de restrição de propaganda e de locais onde é permitido fumar têm aceitação crescente. Em alguns casos extremos, a cruzada antitabagista chega a ser opressiva.
Exageros à parte, tanto a aceitação cadente do cigarro pela sociedade como o desconforto dos fumantes em defender o direito ao tabaco são frutos de um mesmo fenômeno. Chegou-se a um sólido consenso, baseado em farta documentação científica, de que o cigarro piora substancialmente a qualidade de vida.
Sintoma desse consenso é o altíssimo índice (83%) dos fumantes que declararam aos pesquisadores do Datafolha que desejam deixar o cigarro. A experiência médica assegura que a vontade de abandonar o tabaco é fator necessário para uma pessoa emancipar-se do vício. Mas também é preciso ter acesso a remédios e a terapias antitabagistas.
É lamentável que o SUS -que ainda nem sequer conseguiu regularizar a oferta de drogas que ajudam as pessoas a livrar-se do cigarro- esteja desperdiçando tamanha oportunidade.

 
ACT | Aliança de Controle do Tabagismo
Rua Batataes, 602, cj 31, CEP 01423-010, São Paulo, SP | Tel/fax 11 3284-7778, 2548-5979
Av. N. Sa. Copacabana, 330/404, CEP 22020-001, Rio de Janeiro, RJ | Tel/fax 21 2255-0520, 2255-0630
actbr.org.br | act@actbr.org.br
FW2